Visitas do Metropolita em Vera Cruz, Serra Azul e Rio Azul

VERA CRUZ

O dia 03 de agosto amanheceu com os gramados e até telhados brancos pela forte geada. Mas o sol brilhante logo fez desaparecer o gelo e animou a população de Rio Azul e região para mais um sábado de atividades.

Obedecendo sua agenda da Visita Canônica, o Arcebispo Metropolita Dom Volodemer Koubetch se dirigiu até a localidade de Vera Cruz para um encontro com a minúscula comunidade, cuja igreja é consagrada a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Aí já se encontravam o Vigário Paroquial Pe. Clayton M. Keterenhuk, que é também Reitor do Seminário Menor São Josafat de Mallet, a Ir. Arcenia Rudek, ICSA, Superiora da Casa de Formação em Rio Azul, onde o Metropolita se hospedou, para ajudar o pessoal na recepção e celebração por ocasião da Visita Canônica.

Na entrada da igreja, às 9 horas, aquecida pelo sol majestoso, a comunidade prestou uma homenagem ao Visitador. “Como numa grande família do povo de Deus”, o Secretário do Conselho Administrativo Paroquial Jaciel B. Potoski (jacielpotoski@gmail.com / 42 99991-2890) discursou em nome de todos os presentes, pedindo bênçãos, oferecendo o carinho e a amizade fraterna e felicitando o Arcebispo por ocasião do Dia do Sacerdote, festejado no dia de amanhã, 04 de agosto. “Da nossa parte, prometemos a nossa fidelidade a Deus, a nossa mãe Igreja e às nossas tradições”, enfatizou o jovem líder Sr. Jaciel. O catequizando Lucas Dziurkoski entregou um vaso de orquídeas ao Metropolita e sua prima Yasmin Dziurkoski entregou outro ao Pe. Clayton. A bandeja com o pão e o sal foi apresentada pelo Sr. Jacir Pinto – Presidente-executivo e sua Esposa Sra. Nelci Dziurkoski.

Com a concelebração do Sacerdote e com o auxílio da Irmã, a Divina Liturgia foi quase toda cantada em português. O Secretário leu as intenções e a epístola. O catequizandos que entregaram flores serviram como coroinhas. O Metropolita agradeceu pelo carinho, elogiou a comunidade por ter considerado a recomendação da primeira Visita Canônica de estilizar um pouco a igreja construindo uma torre na entrada com uma cúpula e também por ter aprendido a cantar a Divina Liturgia em português. Inspirando-se no nome da localidade – Vera Cruz, Dom Volodemer, explicou o texto de São Paulo 1Cor 1,17-25 e animou os fiéis a sempre buscarem a verdadeira Cruz: o verdadeiro Cristo, o verdadeiro Evangelho e a verdadeira Igreja Católica de Rito Bizantino-Ucraniano, formando uma pequena, mas autêntica comunidade cristã.

Após as sessões de fotos, houve um encontro dos líderes da comunidade com o Arcebispo Metropolita que lhes falou sobre alguns elementos da liderança cristã. Os livros documentais foram verificados e assinados.

O almoço de confraternização foi servido na casa do Sr. Severo Moroz, um dos membros do Conselho Administrativo Paroquial, e foi preparado por sua Esposa Amélia Maieski Moroz, sua filha Tereza e algumas senhoras vizinhas, sendo que o churrasco ficou por conta de seus filhos Edson, Efraim e Samuel. No dia de uma forte geada – “moroz” em ucraniano, coincidiu a confraternização na casa do Sr. Moroz.

O Metropolita retornou a Rio Azul para um breve descanso e se preparar para a visita da tarde em Serra Azul.

SERRA AZUL

Em clima de inverno bastante rigoroso, mas amenizado pelo calor generoso do sol, dia 03 de agosto de 2019, sábado, tendo visitado de manhã a Comunidade de Vera Cruz, o Arcebispo Metropolita Dom Volodemer Koubetch esteve à tarde na Comunidade de Serra Azul a fim de visitá-la oficialmente pela segunda vez.

Estando a comunidade reunida em frente à igreja, às 15 horas, a Catequista Sra. Regina de Fátima Moreira da Silva (reginamoreiradasilva@yahoo.com.br / 42 99136-8776) deu as boas-vindas a Dom Volodemer. Regina ligou a visita de hoje com outras visitas e relatou com satisfação alguns frutos que foram colhidos no decorrer dos anos, o que para ela e para a comunidade é uma alegria: alegria de ser Igreja, alegria de ser solo fértil que fez frutificar as diversas sementes que foram plantadas pelo bom pastor. Ela explicitou o fundamento de tal “frutuosa experiência pastoral”: “Sua presença para nós é, por um lado, a presença visível de Cristo a renovar e reanimar os membros do povo de Deus e, por outro lado, a presença do sucesso dos apóstolos a organizar e reavivar a ação apostólica em meio aos desafios que nossa sociedade tem apresentado”. E concluiu: “Sei que sua missão é árdua, mas, também sei que a alegria de servir é maior que todos os desafios. Deixar tudo para se entregar ao serviço de Deus é a mais bela resposta de amor que alguém pode dar ao amor d’Aquele que morreu por nós”. Com palavras fraternas, o Presidente-executivo Sr. Valdecir Juki e sua Esposa Sra. Simone Ferreira Bueno saudaram o Metropolita com pão e sal.

O Pe. Clayton M. Katerenhuk concelebrou. As intenções da Divina Liturgia foram lidas pela Sra. Anita Cheremeta e a epístola pela jovem Luciane Haracemiv. Os catequizandos Lucas Juki e Maria Izabel R. Ratuchiniak serviram de coroinhas. Comentando o texto do Evangelista Lucas 8,16-21, o Metropolita falou sobre qualidade de vida integral, que acontece quando a luz da fé-esperança-amor é permanentemente alimentada pelas Sagradas Escrituras.

Após a celebração litúrgica, a comunidade prestou uma homenagem ao Pe. Clayton por ocasião do Dia do Padre, manifestando-lhe especial carinho e destacando seu profundo humanismo e sua dedicação pastoral. Em nome de todos, falou a Catequista Regina. “És tão dedicado que, por diversas circunstâncias, nem enxergas em ti o ser humano que és; provido de sentimentos e emoções. Mesmo assim, amas a missão que te foi confiada, tuas obras concorrem para a construção do Reino de Deus”, confirmou a Catequista. Foi entregue ao jovem Sacerdote um presente.

Tomando a palavra, o Metropolita manifestou contentamento em ouvir belos reconhecimentos pelos serviços de seus padres e, neste mês vocacional, incentivou as famílias a trabalharem em prol das vocações sacerdotais e da vida consagrada nas ordens e congregações religiosas, formando verdadeiras cristãs, que são o “laboratório de humanidade”, conforme tem dito o Papa Francisco nesses dias.

Tiradas as fotos, o Metropolita falou sobre liderança cristã aos membros do Conselho Administrativo Paroquial e outros líderes comunitários. Verificou os livros de registros. Prosseguindo a visita, ele vistoriou as construções que foram ampliadas e melhoradas. Parabenizou os líderes pelas conquistas.

A visita encerrou com um jantar de confraternização, num clima de alegria e diálogo, apesar do frio intenso que anunciava mais geada.

O Visitador retornou a Rio Azul para o pernoite.

 RIO AZUL

Enfrentando mais um dia invernal, com geadas e muito frio, porém tendo o conforto do calor do grande astro sol, a maior parte da Comunidade ucraniana de Rio Azul, sempre muito otimista e animada, se reuniu na igreja Santa Terezinha, que ostenta um belo campanário e a bela fachada recentemente reestilizada, para mais um encontro com seu primeiro pastor o Arcebispo Metropolita Dom Volodemer Koubetch, que já se encontrava na cidade há vários dias, tendo compromissos em Mallet e, no sábado, visitando duas comunidades próximas, a de Vera Cruz e a de Serra Azul.

A recepção ao Metropolita começou às 08h30min na entrada da igreja. A jovem Maria Luiza Valenga proferiu um discurso de boas-vindas, pedindo bênçãos e orientações, prometendo sintonia e fidelidade, fazendo agradecimentos e parabenizando pelo Dia do Sacerdote. “Oferecemos a Vossa Excelência as nossas orações, o nosso carinho e a amizade fraterna junto à nossa comunidade, como numa grande família do povo de Deus”, concluiu a oradora. As catequizandas irmãzinhas Ana Julia e Micheli Andreiko entregaram ao Metropolita um belo vaso de flores. Ele agradeceu dizendo: “é mais uma orquídea para a minha coleção que embeleza a residência metropolitana”. O casal Luiz Valenga e Marli Martinhak – Presidente-executivo e sua Esposa, que é catequista, fizeram a tradicional saudação com pão e sal.

Acompanhado pelo Pe. Clayton M. Katerenhuk, que atende pastoralmente a comunidade, pelo Diácono João Basniak e pelos coroinhas mirins Tiago Cordeiro de Castro e Anny Gabrielly Chandocha e pelos irmãos adolescentes Melek – Jeverson Misael e Gabriel Ivan, Dom Volodemer adentrou a igreja e ouviu atentamente as intenções da Divina Liturgia, lidas pela Secretária Janete Vasco (janetevasco2010@hotmail.com / 42 99117-7281). Foram várias as intenções pelos padres falecidos e vivos e também pelo Arcebispo, pois hoje é primeiro domingo do mês de agosto, quando se comemora o Dia do Padre.

A homilia consistiu numa reflexão sobre os textos da liturgia de hoje – 8º Domingo: 1Cor 1,10-18; Mt 14,14-22, tematizada na comunidade unida e eucarística dirigida, por líderes unidos, com destaque ao ministério dos catequistas. Dom Volodemer destacou a união dos líderes cristãos de Corinto veementemente solicitada pelo Apóstolo São Paulo (v. 10) e o colocou como exemplo de missionário e catequista, que se dedicou exclusivamente ao ensino e à catequese, deixando o serviço de fazer os batizados e outras celebrações a outros membros da comunidade (v. 17). Interpretando o versículo 16 da narrativa de São Mateus sobre a primeira multiplicação dos pães – “Mas Jesus lhes disse: ‘Não é preciso que vão embora. Dai-lhes vós mesmos de comer’” – o Pregador disse que a Eucaristia deve levar os fiéis a serem Igreja sendo verdadeiramente eucarísticos, ou seja, sendo pão para os outros. E tal vivência constrói a verdadeira comunidade cristã unida em Cristo.

Ao final da celebração eucarística, foram passados alguns avisos pela Secretária e a Professora Eugênia Osatchuk tomou a palavra para prestar uma homenagem aos eclesiásticos presentes por ocasião do Dia do Padre, reconhecendo o trabalho espiritual de cada um deles. Em oração, ela chamou a atenção para a formação das famílias, que são as fontes da vocações: “Nesse dia em que a Igreja se une para refletir sobre a importância e a carência de sacerdotes, nós elevamos humildes preces ao Bom Deus para que tenhamos famílias santas nas quais, certamente, nascerão novas vocações sacerdotais”. Foi cantado um solene “Mnohaia lita” e “Parabéns” para o Diácono João, Padre Clayton e Arcebispo Volodemer.

Para as fotos, Dom Volodemer fez uma “cobrança” diferente: por ser ele admirador de Santa Terezinha, pediu que as pessoas que fizessem fotos com ele rezassem uma oração à Santa em favor de seu ministério episcopal. Alguns fotografados manifestaram ser essa uma cobrança alegre, fácil e até espiritualmente prazerosa.

Prosseguindo, o Metropolita teve um encontro com as lideranças locais e lhes lembrou alguns princípios de liderança, vista pelo foco da Igreja. Ele insistiu muito na formação de uma comunidade cristã, que vive de fato o Evangelho, e na formação dos próprios líderes, que precisam se atualizar sempre por causa dos desafios que a sociedade contemporânea lança diante de nós. Finalizando a palestra, Dom Volodemer verificou os livros oficiais da comunidade.

No salão de eventos, foi servido o almoço de confraternização, com a participação das lideranças da comunidade. Para o almoço, chegou também o Pároco Irineu Vaselkoski que, antes da partilha do bolo festivo por ocasião da Visita Canônica e do Dia do Padre, proferiu umas palavras de agradecimento, relatando que houve bastante progresso nas comunidades a partir da primeira Visita Canônica do Arcebispo Metropolita. Ele aproveitou o momento para falar sobre as vocações sacerdotais e lembrou a presença dos Seminaristas menores, vindos de Mallet, que estavam presentes. Prontificou-se a melhorar mais ainda as comunidades da Paróquia, humildemente recebendo, se necessário, “algum puxão de orelha” por parte das autoridades superiores. Para “aumentar a saliva na boca” diante do bolo caprichado, confeccionado pela Dona Nena, Dom Volodemer falou umas palavras, dizendo que também é passível de receber “puxões de orelha” das autoridades acima dele, agradecendo por tudo e manifestando seu contentamento pelo fato de a Paróquia com suas comunidades terem levado em consideração suas orientações e determinações dadas na visita anterior e assim terem avançado na vida paroquial e comunitária.

A Professora Eugênia Osatchuk aproveitou o momento para apresentar o temário das novenas a Santa Terezinha deste ano e convidou o Arcebispo Metropolita a participar, obtendo sua confirmação para o dia 21 de setembro.

Com muita vibração, sob um altissonante “Mnohaia lita” e “Parabéns”, foi cortado e distribuído o bolo festivo, tornando o ambiente mais docemente fraterno e amigável.

Tendo saboreado o delicioso bolo, o Metropolita se despediu do pessoal, arrumou suas mochilas, descansou um pouco e partiu de volta à capital.

Texto: Secretariado Metropolitano

Fotos: Gentileza de Wilson Surmacz