Prudentópolis – São Josafat

PARÓQUIA SÃO JOSAFAT

1.5.11-1 Prudentópolis
Prudentópolis

INFORMAÇÕES GERAIS

Padroeiro: São Josafat.

Endereço da secretaria 

Rua Cândido de Abreu, 1636
Caixa Postal, 02
84400-000 PRUDENTÓPOLIS – PR
Fone: 42 3446-1140

Secretários: Ir. João Koroluk Sobrinho, OSBM e Ir. Augustinho Mlot, OSBM

 

Pároco: Pe. Dionísio Horbus, OSBM

Vigários paroquiais: Pe. Antônio Zubek, OSBM, Pe. Thiófilo Melech, OSBM, Pe. Tarcísio Orestes Zaluski, OSBM, Pe. Atanásio Antônio Kupicki, OSBM, Pe. Ivo Komiak, OSBM, Pe. Pedro Navochadla, OSBM, Pe. Inacio Malinoski, OSBM, Pe. José Ratusznei, OSBM, Teófilo Michalichen, OSBM, Pe. Deonísio Bobalo, OSBM, Pe. André Pistun, OSBM, Pe. Valmor Szeremeta, OSBM, Pe. Hilário Opaski, OSBM, Pe. Teodoro Lademiro Haliski, OSBM.

Diácono: Diácono Estefano Wonsik, OSBM.

 

Institutos de vida consagrada

– Convento dos Padres Basilianos, construído nos anos 1916-19. Ampliado entre 1954-60.

– Seminário Menor, hoje Colégio São José, de propriedade dos Padres Basilianos.

– Convento das Irmãs Servas de Maria Imaculada desde 1911.

– Colégio Imaculada Virgem Maria, com ensino de 1º e 2º graus e Escola Pré-primária que é de propriedade das mesmas Irmãs.

– Sede Geral do Instituto Secular das Catequistas do Sagrado Coração de Jesus, fundado nesta paróquia no ano de 1940, com sua Diretoria, Casa de Formação e Noviciado.

– Internato Santa Olga, dirigido pelas Catequistas.

– Casa e Noviciado da Congregação das Irmãs de São José, em Eduardo Chaves, Prudentópolis.

Monumentos

– Centro Paroquial São Josafat com salas de catequese.

– Escola nossa Senhora do Amparo.

– Campanário com seis sinos.

– Estátua de Cristo Rei.

– Monumento ao Milênio da Oficialização do Cristianismo na Ucrânia.

– Gruta com a imagem de Nossa Senhora de Lourdes.

– Capelinha para a bênção da água.

– Praça Ucrânia.

– Museu do Milênio.

– Estátua de Taras Shevtchenko.

– Clube XII de Novembro.

– Comitê Social de Ajudas do Fundo Agrário UUARC-INC.

HISTÓRIA

Prudentópolis

Em 1882, a extensão territorial entre o Rio dos Patos e a Serra da Esperança, então município de Guarapuava, começou a valorizar-se com a notícia da construção da estrada rumo ao oeste do estado. Surge o pioneiro Firmo Mendes de Queiroz, que derrubou as primeiras árvores para construir sua casa, um pouco mais de uma légua distante do rio. Uma casa comercial foi instalada, tornando-se o local de pouso e centro de comércio dos moradores das matas e dos trabalhadores que construíam a estrada. Um dia passou por ali o padre Stumbo, vigário de Guarapuava, sugerindo a Firmo Mendes de Queiroz a construção de uma capela.

Em 1884, Firmo de Queiroz construiu a primeira capela a São João Batista, que iria dar início ao povoado. Este povoado passou mais tarde a chamar-se São João de Capanema, em homenagem ao Barão de Capanema, que por ali passara ao visitar as linhas telegráficas.
Em fins de 1894 o Governo Federal resolveu colonizar esta região, cujas terras o Governo do Estado cedeu para este fim. Cândido Ferreira de Abreu, diretor da colônia, resolveu denominar de Prudentópolis a colônia recém-fundada, em homenagem ao então presidente da República, Prudente de Morais. Em 1895, Prudentópolis apresentava aspecto de povoação próspera, com a vinda de famílias ucranianas e polonesas.

Em 15 de dezembro de 1896 foi criada, pela Lei n° 221, uma cadeira de instrução primária. Já em 1897, pela Lei n° 251, de 14 de dezembro, criou-se a segunda cadeira. O decreto n° 225, de 15 de setembro de 1903, criou uma Agência Fiscal em Prudentópolis. Finalmente em 5 de março de 1906, através da Lei n° 615, foi criado o município, com seu território desmembrado de Guarapuava e com a denominação de Prudentópolis.

A 12 de agosto de 1906 deu-se a instalação do Município.

Em 14 de março de 1929, criou-se a Comarca de Prudentópolis, sendo seu primeiro juiz de direito, Humberto Graça. Em 1956, o município é constituído de três distritos: sede, Jaciaba e Patos Velhos.

 

Imigração ucraniana

O Município de Prudentópolis foi um dos municípios do Paraná – que a partir de 1891 – recebeu as primeiras famílias de imigrantes, vindos da Galícia – Ucrânia ocidental, atraídos por 10 alqueires de terra fértil, oferecidas pelo Império do Brasil, a quem quisesse estabelecer-se na Província do Paraná.

Nos anos de 1895 e 1896, cerca de 5 mil famílias, atraídas pela intensa propaganda, deixaram a longínqua Ucrânia, e vieram para o Paraná, estado do Brasil, com o clima mais ou menos semelhante ao europeu. Há mais de 110 anos, no dia 16 de abril de 1895, às duas horas da tarde, chegavam, conduzidas pelas carroças do Sr. Henrique Kremer, imigrantes que traziam na bagagem apenas a coragem e a esperança.

A segunda leva de imigrantes ucranianos, que se estabeleceu nas várias cidades do Paraná, ocorreu em 1908, quando o governo brasileiro motivou, através de doação de passagens de navio e de alimentação, a vinda de ucranianos que se instalaram nas margens da estrada de ferro Paraná-Santa Catarina-Rio Grande do Sul, as quais ajudaram a construir.

A terceira leva de imigrantes, entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial (1914-1945), ocorreu principalmente pelo motivo de parentescos estabelecidos no Paraná.

Foram imensas e ásperas as dificuldades com que se depararam os primeiros imigrantes. Sem nenhuma assistência, não conhecendo a língua, sem meios de comunicação, sem transporte, sem estradas, sem ferramentas, sem recursos, viram-se forçados a desbravar os sertões. Trouxeram no coração a fé em Deus, e só mesmo com muito sacrifício, muita luta e muita fé, conseguiram vencer os obstáculos.

Hoje, o número de imigrantes e descendentes, que já estão na quarta e na quinta geração, ultrapassa a casa dos 300 mil, espalhados por todo o estado do Paraná. O município de Prudentópolis destaca-se dentre todos pelo alto percentual de descendentes, em torno de 70% de sua população.

 

Paróquia São Josafat

Centro de colonização e abrigo de considerável falange de imigrantes ucranianos, é muito natural que em Prudentópolis se desenvolvesse um núcleo religioso e cultural, a cujo culto pertencessem seus colonizadores. Isto teve início com a vinda do primeiro missionário do Rito Oriental Ucraíno-Católico, padre Silvestre Kizema, da Ordem dos Padres Basilianos, que chegou a Prudentópolis, em 6 de julho de 1897, e de demais sacerdotes do mesmo rito, que sucessivamente vieram da Ucrânia. No mesmo ano, foi fundada por Dom José Camargo, primeiro bispo de Curitiba, a primeira paróquia do Rito Ucraíno-Católico e abriu-se o primeiro Livro de Batismos e Crismas, em latim, e no dia 8 de julho de 1897, realizou-se o primeiro batizado.

A primeira capela de madeira data do ano 1898. Foi uma capela provisória, situada entre a Avenida São João e o Colégio das Irmãs Servas de Maria Imaculada. E a segunda, também em madeira, com maiores dimensões, foi construída em 1904: na esquina oeste do terreno onde atualmente encontra-se instalado o Colégio Imaculada Virgem Maria. Ambas tinham como padroeiro São Basílio Magno.

O decreto da criação da paróquia deu-se no ano de 1904, assinado por Dom José Camargo, arcebispo de Curitiba.

No dia 18 de abril de 1923, realizou-se a bênção da pedra fundamental da atual Igreja. A construção foi iniciada logo em seguida, sob a direção dos sacerdotes basilianos Marquiano Skirpan e Eustáquio Turkovid. Até os dias de hoje, a igreja permanece como foi projetada e construída.

Em 1922, a paróquia ucraniana teve a visita pastoral do Metropolita primaz Andryi Scheptytskyi, Arcebispo Metropolitano de Lviv – Ucrânia. Em 27 de agosto de 1939, a igreja foi sagrada pelo Arcebispo Dom João Butchko, Visitador Apostólico, em memória aos 300 anos do martírio de São Josafat, sendo dedicada a este Santo, passando a ser denominada Igreja Matriz de São Josafat. Outras visitas históricas deram-se em setembro de 1968 – Cardeal Josyf Slipey, em maio de 1985, Cardeal Miroslav Ivan Lubachivskey e em 26 de fevereiro de 2006, Cardeal Lubomyr Husar, ordenando nesta oportunidade dois bispos: D. Dionísio Lachovicz, OSBM e D. Meron Mazur, OSBM.

Enquanto os missionários faziam suas visitas às colônias, surgiam nos maiores núcleos capelas, igrejas, residências sacerdotais, colégios. Hoje, a paróquia conta com 37 igrejas e, aproximadamente, 7.000 famílias.

A paróquia é dirigida e assistida pelos Padres da Ordem Basiliana, que mantém aqui o Colégio São José e a Gráfica, onde é editado o jornal “Prácia”, periódico em língua ucraniana, e “Missionar” – revista mensal do Apostolado da Oração, que desde 1912 têm sua edição destinada aos descendentes.

 

Igreja São Josafat

A Igreja de São Josafat, estilo Bizantino, é considerada entre as mais belas do país. Possui 38 metros de comprimento, 28 de largura e 30 de altura. Foi construída entre os anos de 1922 e 1932, toda em alvenaria. As suas torres e abóbadas condizem perfeitamente com o seu estilo bizantino.

O seu interior é original e rico, sua ornamentação é detalhada e bonita, e diferencia-se muito das igrejas do rito latino. Além da pintura, o grande destaque é o “Ikonostás” – conjunto de imagens (ícones) da história da salvação. Também é a parede que separa o Santuário da nave dos fiéis.
De acordo com o estilo bizantino-ucraniano, o interior da Igreja é dividido em três partes:

1) Vestíbulo – é a parte da entrada pela porta principal. Nos primeiros séculos do cristianismo, o Vestíbulo era reservado às pessoas que estavam se preparando para o batismo.

2) Nave dos fiéis – No centro da Nave está o “tetrapod” (mesa quadrada), onde são ministrados os sacramentos: do batismo, crisma, casamentos; são celebradas parastássys, panachydas (orações fúnebres) e outras sagrações e bênçãos. Nas laterais há dois altares: do Sagrado Coração de Jesus e de Nossa Senhora, e ao lado do “ikonostás” o púlpito em forma de barca.

3) Santuário – é a principal divisão da Igreja. No centro deste temos o altar-mor com baldaquino, onde é celebrada a Santa Missa, e onde se encontra o Tabernáculo (tendo o formato de uma miniatura da Igreja), Evangelho, crucifixo e castiçais. O Santuário é separado da nave dos fiéis pelo Ikonostás. O ikonostás tem três portas. Pela porta central só é permitida a entrada ao celebrante, durante as celebrações. As portas laterais são denominadas portas dos diáconos. Entre elas situam-se as imagens (ícones) de Cristo Redentor, da Virgem Maria Mãe de Deus, São João Batista e São Nicolau. Acima das três portas do Ikonostás há três filas de imagens, que representam os 12 dias santificados mais importantes do ano, 12 apóstolos e 12 profetas. No alto do Ikonostás está a imagem de Cristo Redentor. Junto ao Santuário existem duas sacristias laterais.

No ano de 1979, a Igreja de São Josafat foi tombada pela Secretaria de Cultura do Estado como patrimônio artístico e cultural do Paraná.

Perto da Igreja, está o campanário, com seis sinos, uma estátua de Cristo-Rei e uma gruta, com a imagem de Nossa Senhora de Lourdes, incrustada na parede principal.

 

Museu do Milênio

Preocupada com a preservação da cultura ucraniana, a Sociedade Instrutiva São Basílio, disponibilizou um terreno localizado na esquina das ruas São Josafat e Cândido de Abreu, onde foi instalada a Praça Ucrânia. No ano 1985 a comunidade da Paróquia São Josafat constituiu o Comitê Pró-Construção do monumento ao poeta Taras Shevtchenko e ao Milênio do Cristianismo na Ucrânia, que decidiu construir um complexo arquitetônico na praça (monumento ao poeta) e no subsolo um espaço para fins culturais.

O monumento a Taras Shevtchenko, poeta maior da Ucrânia, em forma de estátua em bronze, foi obra do escultor Leo Moll, do Canadá. O complexo arquitetônico do arquiteto Myroslau Nimciw, dos EUA e Jonel Iurk, do Brasil.

O alvará de licença para construção da obra foi assinado em 10.02.97, e a inauguração deu-se no dia 03-12-1989, com visitantes do Brasil e do exterior, representantes do governo estadual, do município e representante do governo da Ucrânia, da Representação Mundial dos Ucranianos do Mundo Livre, presença de corais e grupos de danças do Canadá e Argentina.

O Museu do Milênio, no subsolo do monumento, foi inaugurado em 1995. É um museu com característica histórico-cultural-religiosa da comunidade paroquial São Josafat. Seu acervo reúne objetos de trabalho e do cotidiano dos imigrantes ucranianos e seus descendentes, radicados em Prudentópolis, a partir do final do século XIX, procedentes da região da Galícia, antes da I Guerra Mundial. Retrata aspectos históricos da colonização, vida e costumes do povo ucraniano. Também conta com uma sala dedicada ao poeta Taras Shevtchenko e lembranças da Ucrânia: mapas, retratos, trajes, bordados, hinos, trabalhos artesanais em madeira, cerâmica, tecelagem, etc.

 

ATUALIDADE 

Famílias: 7.000.

Atividades pastorais e socioculturais

Catequese: realiza-se todos os sábados e domingos. É ministrada pelas catequistas do Sagrado Coração de Jesus, pelas Irmãs Servas de Maria Imaculada como também por catequistas leigas.

Cultos e devoções tradicionais: durante a Quaresma – Via-Sacra e Missa dos Dons Pré-Santificados, celebrações próprias da Semana Santa. Durante o mês de maio – tradicional novena (Maivka). No mês de junho – Novena ao Sagrado Coração de Jesus. No mês de outubro – Terço. Diariamente terço através da emissora “Copas Verdes” de Prudentópolis.

Ação Social: é prestada pelas senhoras do Apostolado de Oração da Paróquia, pelo Comitê Pró-Terra, que se dedica ao pequeno agricultor e aos sem-terra. Prestam ajuda ao Asilo São Vicente de Paula. As senhoras mantêm a Cooperativa de artes e tradições ucranianas. Periodicamente, realizam-se festas e promoções apropriadas, tendo por finalidade a manutenção da Paróquia e de suas obras.

Associações leigas religioso-culturais:

De acordo com o Estatuto da Mitra do Bispado Católico de Rito Ucraniano, “O patrimônio da Mitra lotado para usufruto da Paróquia é administrado, em nome da Autoridade Eparquial, pelo CAP (Conselho Administrativo Paroquial), do qual automaticamente, e por força do próprio Direito

Canônico (Cân. 290,§1;1023), o Pároco é o Presidente” Art. 14.

Composição do CAP da Matriz São Josafat: Presidente: Pe. Dionisio Horbus, OSBM; Presidente Executivo: Anderson Alexandre Lemos; Vice-Presidente: Davi Rudek; Primeiro Secretário: Marcos Antonio Boiko; Segundo Secretário: Andrei Bulka Machula; Primeiro Tesoureiro: Alceu Horbuch; Segundo Tesoureiro: José Melnik ; Conselheiros: Luis Chorobura, Miguel Zdebski Neto, Paulo Geri, Luciano Marcos Antonio, Jonas Colecha, Marcos Roberto Lachovicz e Mauricio Labiak.

Os grupos existentes na Paróquia São Josafat com suas respectivas comissões são os seguintes: Conselho Administrativo Paroquial, Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Cursilhistas, Grupo Folclórico Vesselka, Pastoral do Dízimo, Coral São Josafat, Grupo de Banduristas, MEJ (Movimento Eucarístico Juvenil), Catequese, Equipe de Liturgia, Pastoral Familiar, Escola Nossa Senhora do Patrocínio, Comissão do Cemitério São Josafat, Comissão do Clube XII de Novembro, Diretoria do Museu do Milênio, Pastoral dos Ícones, Coroinhas, Sacristãos.

Rádio Copas Verdes: 101,3 www.copasverdesfm.com.br

Rádio Zabava – Ukrainian Web Radio: www.radiozabava.com

COMUNIDADES

Alto Barra Grande: Igreja construída entre os anos 1993-95, em alvenaria. Padroeiro: Santíssima Trindade. Famílias: 54. Distância da sede paroquial: 50 km.

Barra Bonita: Igreja construída entre os anos 1960-72, em alvenaria. Padroeiro: Cristo Rei. Famílias: 250. Distância da sede paroquial: 25 km.

Barra d’Areia: Igreja construída entre os anos 1971-80, em madeira. Padroeiro: São Nicolau. Famílias: 60. Distância da sede paroquial: 45 km.

Barra Seca Sant’Ana

Barra Seca Sede

Barra Vermelha: Igreja construída entre os anos 1987-94, em alvenaria. Padroeiro: São Demétrio. Famílias: 180. Distância da sede paroquial: 30 km.

Bracatinga: Igreja construída entre os anos 1985-90, em alvenaria. Padroeiro: São Basílio. Famílias: 158. Distância da sede paroquial: 12 km.

Cachoeirinha: Igreja construída entre os anos 1982-85, em madeira. Padroeiro: Imaculada Conceição. Famílias: 65. Distância da sede paroquial: 50 km.

Eduardo Chaves: Igreja construída entre os anos 1971-1981, em alvenaria. Padroeiro: Natividade de Nossa Senhora. Famílias: 210. Distância da sede paroquial: 25 km.

Herval Grande: A 1ª igreja construída em 1982-87, a atual em alvenaria, em 2002. Padroeiro: São João Batista. Famílias: 65. Distância da sede paroquial: 58 km.

Jesuíno Marcondes: Igreja construída entre os anos 1963-72, em alvenaria. Padroeiro: Apresentação de Nosso Senhor. Famílias: 194. Distância da sede paroquial: 15 km.

Ligação: Igreja construída entre os anos 1990-97, em alvenaria. Padroeiro: Imaculada Conceição. Famílias: 180. Distância da sede paroquial: 65 km.

Linha Dezembro: Igreja construída entre os anos 1998-2003, em alvenaria. Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus. Famílias: 30. Distância da sede paroquial: 7 km.

Linha Esperança: Igreja construída entre os anos de 1945-59, em alvenaria. Padroeiro: Patrocínio de Nossa Senhora. Gruta de Nossa Senhora de Lourdes. Famílias: 227. Distância da sede paroquial: 12 km.

Linha Guarapuava: Igreja construída entre os anos 2000-02, em alvenaria. Padroeiro: São José. Famílias: 110. Distância da sede paroquial: 18 km.

Linha Paraná: Igreja construída entre os anos 1978-79, em madeira. Padroeiro: Transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo. Famílias: 125. Distância da sede paroquial: 35 km.

Nova Galícia: Igreja construída em 1978, em alvenaria. Padroeiro: São Miguel Arcanjo. Famílias: 50. Distância da sede paroquial: 8 km.

Palmital (Irati): Igreja construída em 1969, em madeira. Padroeiro: São José. Famílias: 155. Distância da sede paroquial: 37 km.

Papanduva de Baixo: Igreja construída entre os anos 1970-76, em alvenaria. Padroeiro: São João Batista. Famílias: 67. Distância da sede paroquial: 27 km.

Pedra Branca: Igreja construída entre os anos 1964-72, em madeira. Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus. Famílias: 60. Distância da sede paroquial: 40 km.

Perobas: Igreja construída entre os anos 1982-87, em madeira. Padroeiro: Três Santos Prelados. Famílias: 112. Distância da sede paroquial: 60 km.

Piquiri: Igreja construída entre os anos 1977-78, em madeira. Padroeiro: São Miguel Arcanjo. Famílias: 90. Distância da sede paroquial: 30 km.

Ponte Alta: Igreja construída entre os anos 1975-77, em madeira. Padroeiro: Anunciação de Nossa Senhora. Famílias: 58. Distância da sede paroquial: 18 km.

Ponte Nova: Igreja construída entre os anos 1991-99, em alvenaria. Padroeiro: N. Senhora de Hoshiv. Famílias: 80. Distância da sede paroquial: 20 km.

Queimadas: Igreja construída em 1975, em madeira. Padroeiro: N. Senhora de Fátima. Famílias: 40. Distância da sede paroquial: 20 km.

Rio d’Areia: Igreja construída entre os anos 1993-98, em alvenaria. Padroeiro: Santa Cruz. Famílias: 85. Distância da sede paroquial: 30 km.

Rio Preto: Igreja construída entre os anos 1980-86, em madeira. Padroeiro: Sagrada Família. Famílias: 34. Distância da sede paroquial: 6 km.

São João do Rio Claro: Igreja construída entre os anos 1978-82, em madeira. Padroeiro: Santíssima Trindade. Famílias: 37. Distância da sede paroquial: 12 km.

São Pedro: Igreja construída em 1955, em madeira. Padroeiro: São Pedro. Famílias: 65. Distância da sede paroquial: 8 km.

São Sebastião: Capela (salão) construída no ano 2001, em madeira. Padroeiro: Assunção de N. Senhora. Famílias: 40. Distância da sede paroquial: 40 km.

Tijuco Preto: Igreja construída entre os anos 1987-93, em alvenaria. Padroeiro: Santíssima Eucaristia (Três Santos Prelados). Famílias: 280. Distância da sede paroquial: 30 km.

Vista Alegre: Igreja construída em 1998, em alvenaria. Padroeiro: Apresentação de Nosso Senhor. Famílias: 43. Distância da sede paroquial: 35 km.