Criação do Santuário Nossa Senhora dos Corais

  1. Pároco Mario Ciupa recebe as capelinhas no trevo
  2. Arcebispo Metropolita recebe as capelinhas na entrada da igreja
  3. Metropolita asperge as capelinhas com água benta
  4. Chegada da imagem, vindo de Canoinhas, com os jovens de Três Barras
  5. Procissão até a igreja
  6. Arcebispo Metropolita recebe a imagem
  7. Pronunciamento do Pároco Mario Ciupa
  8. Início da grande procissão da igreja latina até a igreja ucraniana
  9. Procissão
  10. Eloiza de Souza Iurkiv entrega um buquê de flores
  11. Prefeito Municipal Fabio Staniszewski Machiavelli entrega as chaves da cidade
  12. Vice-Presidente-Executivo Sr. Antonio Melnechenko e sua Esposa Andrieli saúdam o Metropolita com pão e sal
  13. Pároco Pe. Mario Ciupa saúda o Metropolita
  14. Início da Divina Liturgia
  15. Chanceler Pe. Basilio Koubetch, OSBM faz a leitura dos decretos
  16. Cora da Catedral
  17. Anáfora
  18. Oração para receber a indulgência plenária
  19. Bênção das placas comemorativas colocadas no oratório
  20. Antônio Roik Sobrinho, OSBM – Superior Provincial da Província brasileira, Pe. Gabriel Haber, OSBM – Superior Provincial do Canadá, Pe. Mário Ciupa – Reitor do Santuário, Arcebispo Metropolita, Pe. Edison Luis Boiko – Vigário Geral
  21. Celebrantes e Acólitos
  22. Inauguração do monumento em homenagem aos antepassados e às famílias que formam a Paróquia
  23. Inauguração…
  24. Almoço
  25. Elenco dos atores da encenação sobre a história do ícone de Nossa Senhora dos Corais
  26. Encenação…
  27. Moleben a Nossa Senhora no Santuário
  28. Bênção da água e dos devocionais na gruta
  29. Bênção…
  30. Bênção…

GI FOTOGRAFIA E FILMAGEM DE EVENTOS
42 – 8836-0703 / 47 – 8853-0707 / 42 – 3533-5010
gi.fotografia@hotmail.com
Matriz: Lagoa da Cruz – Antonio Olinto – PR
Filial: Av. Rigesa, 594 – Três Barras – SC

Encerrando o Ano Extraordinário da Misericórdia e a peregrinação da Imagem de Nossa Senhora Aparecida e celebrando os 25 anos das romarias marianas, a Metropolia Católica Ucraniana São João Batista achou por bem elevar a histórica igreja de Antonio Olinto ao status de Santuário e ainda proclamar seu precioso ícone de Nossa Senhora dos Corais como Padroeira dos Ucranianos Católicos e seus Descendentes no Brasil. Isso aconteceu de forma muito solene e participativa no dia 20 de novembro de 2016.

Além da peregrinação da imagem de Nossa Senhora Aparecida pelas paróquias e algumas comunidades, que durou um mês e teve seu ponto mais alto em Antonio Olinto, a solenidade de criação do Santuário foi precedida por uma novena especial, realizada entre os dias 11 a 19 de novembro. Dia 11, às 19:30hs, a comunidade de Santos Andrade chegou à Matriz para rezar e refletir sobre o tema “Santuário – um lugar de oração”. No dia seguinte, a comunidade polonesa de São Mateus do Sul participou da Divina Liturgia e da Novena, meditando sobre o “Santuário – lugar de devoção”. Domingo, dia 13, a comunidade latina da Paróquia São José Esposo teve sua participação e meditação sobre o “Santuário – casa da mãe e casa de irmãos”. O pessoal de Mico Magro chegou na segunda-feira para rezar e meditar sobre o tema “Santuário – lugar sagrado”. No feriado, dia da Proclamação da República, foi a vez da comunidade local participar da Divina Liturgia e da Novena, refletindo sobre o “Santuário – lugar de misericórdia”. O dia 16 foi reservado para a comunidade de Três Barras, que ouviu sobre o “Santuário – lugar de devoção, adoração, amor e fidelidade”. Com o tema “Santuário – lugar de aprender a viver a vocação e a santidade com Maria”, a comunidade de Campina se reuniu e rezou devotamente.

As duas últimas novenas tiveram um caráter mais solene com o encontro das capelinhas e visita da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida. Sexta-feira, dia 18, todas as comunidades da Paróquia trouxeram suas capelinhas que foram recepcionadas pelo Arcebispo Metropolita Dom Volodemer Koubetch, OSBM. Ele celebrou a Divina Liturgia, falou sobre o “Santuário – lugar de bênção de Deus” e rezou o Moleben a Nossa Senhora. O Pe. Basilio Koubetch, OSBM – Chanceler da Metropolia concelebrou e o Diácono João Karpovicz auxiliou. Dia 19, sábado, no mesmo horário das novenas precedentes, aconteceu a recepção da imagem peregrina, que veio de Canoinhas, trazida pelo Pároco Daniel Horodeski, juntamente com as Irmãs Basilianas e representantes da Paróquia. O Pároco Mario Ciupa e o povo local receberam a imagem no trevo da pracinha e a conduziram em procissão até a entrada da igreja. Incensando-a e lhe dando um ósculo, o Arcebispo Metropolita abençoou o povo. Adentrando a igreja, ele a colocou num pedestal apropriado em forma de canoa, lembrando que a imagem original foi encontrada por três pescadores no Rio Paraíba. Enquanto se entoava uma canção que afirmava ser Maria de Aparecida uma forte luz, puxada por dois violeiros, devotos depositavam velas acesas sob os pés do pedestal. O Pe. Mario dirigiu palavras de boas-vindas e deu seu testemunho de vida em relação à sua devoção a Maria Santíssima: ele lhe consagrou seu sacerdócio e ela o auxiliou e o protegeu nos momentos difíceis. Seguiu a Divina Liturgia. O tema sugerido para a reflexão foi “Maria – Mãe de Deus e da Igreja”. O Metropolita proclamou e comentou o texto do Evangelho de São João 19,25-27: além de ser a mãe de Deus, a nova Eva, ela é mãe da Igreja e mãe espiritual de todos os seguidores de Jesus Cristo. Concelebraram os Padres Basilianos Moacyr Leczuk – Pároco de São Paulo, Arcenio Krefer – Tesoureiro da Metropolia e Basilio Koubetch – Chanceler e o Diácono João Karpovicz. Depois, em frente a imagem de Aparecida, foi rezado em português o Akathisto a Nossa Senhora.

As celebrações mais importantes aconteceram domingo, dia 20. No início da manhã, houve a alvorada e a recepção dos romeiros na igreja latina São José Esposo. A dinâmica da procissão ficou a cargo da Paróquia São Nicolau de Roncador. A procissão terminou em frente à igreja ucraniana.

Desde as primeiras horas, os sacerdotes estavam atendendo confissões: Pe. Edson Ternoski, Pe. Daniel Horodeski, Pe. Sandro Dobkowski, Pe. Mario Marinhuk, OSBM, Pe. Moacyr Leczuk, OSBM, Pe. Soter Schiller, OSBM, Pe. Jaime Valus, OSBM, Pe. João Karpovicz, OSBM, Pe. Sérgio Baran Ivankio, OSBM, Pe. Mateus Krefer, OSBM, Pe. Metodio Techy, OSBM.

O Arcebispo Metropolita, os Padres concelebrantes, os Diáconos e os Acólitos saíram da casa paroquial e se posicionaram na entrada da igreja, onde a comunidade antonio-olintense prestou homenagem a Dom Volodemer. As crianças cantaram uma canção religiosa e a menina Eloiza de Souza Iurkiv entregou um buquê de flores ao homenageado. O Coral da Catedral Metropolitana São João Batista, dirigido pelo maestro Sr. Leonardo Davibida, executou um hino à Virgem Maria. O Prefeito Municipal Sr. Fabio Staniszewski Machiavelli, acompanhado de sua Esposa Sra. Ariade, cumprimentou o Metropolita e lhe entregou a chave da cidade. O Vice-Presidente-Executivo Sr. Antonio Melnechenko e sua Esposa Andrieli o saudaram, segundo a tradição ucraniana, com pão e sal. Em seu discurso, o Sr. Antônio disse: “Vossa Excelência nos trouxe a Virgem de Aparecida peregrina, nossa Mãe e Protetora do Brasil para prestigiar ainda mais a celebração em que a nossa igreja Nossa Senhora dos Corais será elevada a Santuário – santo templo de peregrinação para todos que procurarem bênção, paz, alívio, graças”.

Os celebrantes e parte dos romeiros adentraram a igreja e deu-se início à Divina Liturgia. Os romeiros que não puderam acomodar-se na igreja, acompanharam a celebração num telão instalado sob uma tenda. Após o canto dos tropários, o Chanceler da Metropolia Pe. Basilio Koubetch, OSBM fez a leitura dos decretos de criação do Santuário Nossa Senhora dos Corais, da nomeação do Pe. Mario Ciupa como seu Reitor e o de proclamação de Nossa Senhora dos Corais como Padroeira dos Ucranianos Católicos e seus Descendentes no Brasil.

O Pe. Edison Luis Boiko – Vigário Geral, o Reitor do Santuário Pe. Mario Ciupa, o Pe. Gabriel Faber, OSBM – Superior Provincial da Província basiliana do Canadá e o Pe. Antonio Roik Sobrinho, OSBM – Superior Provincial da Província brasileira, Pe. Zacharia Shwaluk, OSBM – Seretário e Ecônomo da Província canadense, Pe. Josafá Firman – Pároco de União da Vitória, Pe. Irineu Vaselkoski – Pároco de Mallet, Pe. Silvano Surmacz – Pároco da Catedral latina de União da Vitória, Pe. Antonio Carlos Rodrigues – Pároco da Paróquia latina de Antonio Olinto, Pe. Cristiano Lobas Silva, OSBM – Vigário paroquial de Roncador concelebraram. Os Diáconos Romeu Smach (do Boqueirão – Curitiba) e João Basniak (de Mallet) exerceram sua função litúrgica. Os Seminaristas do Seminário Maior São Josafat de Curitiba serviram como acólitos. O Chanceler auxiliou a celebração como mestre de cerimônia. O citado Coral abrilhantou a solenidade.

Hoje, dia 20 de novembro, lembra-se liturgicamente a fundadora da Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada, a Beata Josafata Hordachevska. É preciso reconhecer e agradecer do fundo do coração o trabalho de atendimento informativo e espiritual dado aos turistas e peregrinos que chegam ao agora oficialmente proclamado Santuário Nossa Senhora dos Corais, trabalho esse muito prontamente exercido pelas Irmãs Servas que aqui passaram nas décadas passadas e, especialmente, pelas religiosas que atualmente aqui dedicam suas benévolas energias e fizeram o melhor na preparação da festividade hoje tão solenemente celebrada: Ir. Ana Kichel, Ir. Célia Melnik e Ir. Natália Petel. Que Nossa Senhora dos Corais continue vos ajudando nessa nobre missão!

Em sua homilia, Dom Volodemer lembrou a Festa de Cristo Rei e o encerramento do Ano da Misericórdia, os 25 anos das romarias marianas e os principais lugares de peregrinação mariana no mundo, que são lugares de bênçãos e graças. “Assim como uma boa mãe sempre está presente e atenta às necessidades de seus filhos, também a Mãe de Deus, a Mãe de Jesus – Maria Santíssima está sempre ao lado de seus filhos, especialmente daqueles mais carentes e necessitados. É a revelação do rosto materno e misericordioso de Deus – ação contínua da misericórdia divina, cujo ano extraordinário finalizamos hoje”, disse o Metropolita. E enfatizou: mas “ela quis mostrar especialmente o seu rosto para nós ucranianos e seus descendentes, pois ela jamais iria abandonar um povo que, no decorrer da sua história e nas situações mais dramáticas da vida, sempre lhe foi tão confiante, filial e devoto”. Narrando a história do ícone e as experiências pastorais e espirituais a ele relacionadas, o Arcebispo Metropolita justificou a criação do Santuário Nossa Senhora dos Corais.

Concluindo sua homilia, o Arcebispo Metropolita disse: “Nossa Senhora dos Corais é a nossa Mãe. Ela tem a nossa fisionomia, o nosso rosto, as nossas características culturais. A partir de hoje, temos o nosso Santuário onde vamos cultivar ainda mais a nossa teologia, espiritualidade e devoção à Maria Santíssima, contemplando o belo ícone de Nossa Senhora dos Corais. Por sua intercessão receberemos muitas graças. Continuaremos alimentando a ideia da criação de um centro mariano de espiritualidade nas imediações deste Santuário. O maior proveito pastoral e espiritual bem como o melhor cuidado do precioso ícone e deste magnífico Santuário confiamos ao primeiro Reitor Pe. Mario Ciupa. E a Nossa Senhora dos Corais entregamos todos os que hoje vieram participar desta solenidade; a ela confiamos toda a Metropolia com suas instituições e todo o povo de Deus!”

Antes da bênção final, o Reitor Pe. Mario fez seu pronunciamento como o primeiro Reitor do Santuário. Emocionado, ele resumiu seu testemunho devocional à Mãe de Deus. Finalizada a Divina Liturgia, todos se ajoelharam e rezaram um Pai Nosso, uma Ave Maria e Glória na intenção do Santo Padre. O Metropolita pronunciou a bênção apostólica concedendo a indulgência plenária por ocasião do Ano Extraordinário da Misericórdia, que hoje se encerra.

Após a entoação da tradicional felicitação – Mnohaia Lita, realizaram-se as cerimônias de descerramento de duas placas comemorativas, afixadas dentro do oratório: a placa da instauração da Paróquia (22.05.16) e a placa da criação do Santuário. Ao lado da igreja, foi construído um pequeno monumento em homenagem aos antepassados e das famílias que hoje compõem a Paróquia – Santuário, o qual também foi oficialmente inaugurado.

Os romeiros puderam servir-se confortavelmente do almoço sob o pavilhão paroquial.

Ao lado do pavilhão, às 14 horas, os jovens marianos de Antonio Olinto apresentaram a encenação, de autoria do Reitor Pe. Mario, sobre a história do ícone de Nossa Senhora dos Corais.

No Santuário, às 15 horas, presidida pelo Arcebispo Metropolita, foi rezada a Novena a Nossa Senhora. A seguir, os romeiros dirigiram-se até a gruta, onde Dom Volodemer procedeu a bênção da água e dos devocionais. Os romeiros foram despedidos e enviados como mensageiros da misericórdia de Cristo e de Nossa Senhora dos Corais. Terminou o ano, um período do tempo especial, mas o amor cristão e a misericórdia permanecem sempre. Por isso, o Metropolita encorajou os romeiros a continuarem a prática da misericórdia: “Vossos corações sejam o coração de Cristo pulsando em vossos peitos. Vossas mãos sejam as mãos de Cristo e Maria Santíssima a fazerem sempre e somente o bem”!