Responsáveis da juventude em Brasília

A Comissão para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB reuniu os responsáveis diocesanos pelas pastorais da juventude nos dias 7 e 8 de setembro, em Brasília. Foi o 14º Encontro Nacional dos Responsáveis Diocesanos pela Juventude. A Arquieparquia Ucraniana São João Batista enviou o Diácono Romeu Smach para participar do evento que reuniu padres, religiosos, religiosas e leigos adultos que trabalham com a juventude. Conduziu as reflexões sobre a temática do encontro o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da CNBB, monsenhor Antônio Catelan.

“A mística e eclesiologia do Papa Francisco na Evangelização da Juventude a partir do Projeto IDE” foi o tema que animou as discussões dos cerca de 200 participantes de todas as regiões do Brasil. O Sínodo dos Bispos deste ano, que tem a juventude como centro das reflexões, também foi abordado durante o evento. Os bispos membros da Comissão para a Juventude da CNBB também participaram.

Sobre o Sínodo, que neste ano terá a sua XV Assembleia Geral Ordinária, com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, os participantes trabalharam pontos que nortearão os debates dos padres sinodais escolhidos pelo Papa Francisco e que estarão em Roma no próximo mês. A Comissão para a Juventude da CNBB preparou vários projetos para a juventude do Brasil acompanhar o Sínodo.

Estará disponível um hotsite sobre o Sínodo no site Jovens Conectados. Será promovido um momento oracional para que os grupos juvenis rezem pelo Sínodo. Serão oferecidos ainda conteúdos sobre o Sínodo para aprofundamento, entrevistas diárias com os bispos e jovens do Brasil que estarão no Sínodo, fotos dos acontecimentos abertos do Sínodo e uma série de perguntas e respostas sobre o Sínodo.

A Comissão ainda apresentou os cursos na modalidade de Educação a Distância (EAD) de Acompanhamento, Assessoria, Liderança e Políticas Públicas. Já são 2000 pessoas inscritas. O calendário da Pastoral Juvenil para 2019 também foi partilhado.

Ainda durante o encontro nacional de responsáveis diocesanos, a Comissão realizou o lançamento do livro “Encontros – Grupos Juvenis” das Edições CNBB. A publicação trabalha as oito linhas de ação do Documento 85 da CNBB.

O Bispo diocesano de Imperatriz (MA) e Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, Dom Vilsom Basso, em sua homilia na manhã de sábado, dia 8 de setembro, disse que a alegria deve ser a marca daqueles que trabalham com a evangelização da Juventude. “Nós que trabalhamos, que caminhamos com as juventudes, devemos ser homens e mulheres que transparecem essa alegria de um coração que entrega, que é dado, doado a Deus e às pessoas”, afirmou.

Para Dom Vilsom, que fez memória de toda a trajetória do trabalho de evangelização da juventude no âmbito da CNBB, que ele mesmo fez parte como assessor, na década de 1990, é importante “partilhar o prazer de assumir isso como vocação, com leveza, com seriedade, entregando ao Senhor toda essa causa”. Ele ressaltou a alegria de ver a comunhão acontecendo com tantas expressões juvenis. Após a criação da Comissão, em 2011, com trabalhos diversos que eram promovidos pelas Pastorais da Juventude, movimentos, congregações, houve momentos difíceis, mas “hoje sentimos o clima mais favorável”, declarou.

O clamor de Jesus aos apóstolos de que sejam um se faz “atual e urgente” nos dias de hoje, segundo Dom Vilsom. “A juventude tem dado esse testemunho para as outras comissões e pastorais, para outros países. São passos que o Espírito vai suscitando e pessoas vão corajosamente propondo”. Por isso, a “alegria de partilhar esses passos dados na comunhão com tantas e tantas expressões juvenis”.

Dos passos dados, a Comissão para a Juventude da CNBB propôs para o período de 2017 a 2020 um novo projeto de evangelização, chamado IDE. Ele dá continuidade às iniciativas do Rota 300, trabalhando os eixos Missão, Formação, Estruturas de Acompanhamento, Ecologia e Políticas Públicas. Dom Vilsom destacou que este projeto dará “devagarinho, no respeito às diferenças, aos carismas, à metodologia”, um caminho comum como Igreja no Brasil no trabalho com os jovens.

www.cnbb.org.br