Nova sede e novo bispo dos armênios

Nos últimos dois anos, os católicos de rito armênio que vivem na cidade de São Paulo estão em festa: dignaram-se em ter a sede do Exarcado na capital, ter a igreja de seu grande patrono São Gregório o Iluminador elevada à catedral e receber um novo Bispo Exarca – Dom Paulo León Hakiminian. Dom Paulo recebeu dois cargos: Bispo da Eparquia São Gregório de Narek na Argentina e Exarca Apostólico Armênio da América Latina e México. É importante e interessante conhecer um pouco a história de uma das mais antigas Igrejas orientais para depois verificar os últimos eventos. O conteúdo deste artigo está organizado nos seguintes pontos: Igreja Católica Armênia; Exarcado latino-americano; nova sede em São Paulo; novo Bispo Dom Paulo León Hakimian; posse de Dom Paulo León Hakimian.

Igreja Católica Armênia

A Igreja Católica Armênia é uma das 23 Igrejas Católicas Orientais, que seguem cinco ritos. A Armênia foi a primeira nação a adotar o Cristianismo como religião oficial, em 301. Um século depois, os armênios se separaram da Igreja Católica, por não aceitarem as definições do Concílio de Calcedônia, em 401, tornando-se a Igreja Apostólica Armênia. Em 1742, um grupo de armênios se uniu novamente ao Papa, dando origem à Igreja Católica Armênia, que, desde 1749, tem sua sede em Bzoummar, no Líbano. O Patriarca dos católicos armênios é Gregório Pedro XX Gabroyan, responsável por cerca de 540 mil fiéis.

O Padroeiro São Gregório o Iluminador tornou-se Bispo da Capadócia e um dos maiores líderes da Igreja armênia. Nasceu na cidade de Valarxabad, na Armênia, por volta do ano 257. Casado e pai de dois filhos, Vertanes e Aristakes, Gregório, em comum acordo com a esposa, decidiu viver em um convento. Após a ordenação partiu da Cesareia em missão.

A Liturgia dos armênios tem um rito próprio, utilizado tanto pela Igreja Católica Armênia como pela Igreja Apostólica Armênia. O rito foi modelado a partir das diretrizes de São Gregório o Iluminador, fundador e padroeiro da Igreja Armênia. A ordem da celebração da Eucaristia foi inicialmente influenciada pelos siríacos e pelos cristãos da Capadócia. Em seguida, a partir do século V, pela liturgia de São Tiago; após o século X, pelos bizantinos; e, finalmente, pelos latinos durante as Cruzadas.

A Liturgia armênia eleva o espírito e o conduz à oração, que nos aproxima de Deus. Os armênios são a única igreja oriental que utiliza o vinho sem adição de água e, como os ocidentais, usam pão sem fermento para a Eucaristia. Nos elementos externos da celebração litúrgica armênia, chama a atenção principalmente o uso de uma cortina que por várias vezes se abre e se fecha nos momentos mais fortes, que são marcados pelo mistério da salvação. O uso do órgão eletrônico (teclado) como acompanhamento dá um toque muito especial. Todos os celebrantes, acólitos e demais auxiliares calçam sapatos especiais e uniformes.

A Igreja Armênia foi uma Igreja sofrida, pois seu povo padeceu um genocídio por parte dos turcos-otomanos em 1915, considerado o primeiro genocídio do século XX, quando 1,5 milhão de armênios foram massacrados.

Exarcado latino-americano

Nas igrejas orientais, o exarcado é equivalente ao que na Igreja ocidental é chamado de prelazia, isto é, uma diocese em formação.

O Exarcado Apostólico da América Latina foi criado em 1981 por São João Paulo II, com sede em Buenos Aires, na Argentina, tendo Dom Vartan como primeiro bispo. Em 1989, a Argentina se tornou uma Eparquia à parte, separando-se do restante da América Latina, mas tendo também Dom Vartan como bispo. Com a criação da nova Eparquia, o Exarcado ficou sem uma sede própria. Mas a paróquia brasileira se tornou um local de referência, embora não oficialmente. Explicou Dom Vartan: “Para sanar essa situação irregular, solicitei à Sé Apostólica que a sede do Exarcado fosse, então, estabelecida no Brasil, que congrega a maior comunidade armênia católica do Exarcado”. Assim, em 22 de novembro de 2016, o Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais Cardeal Leonardo Sandri emitiu um decreto constituindo a sede do Exarcado na capital paulista.

O Exarcado Armênio possui comunidades no México, Venezuela, Brasil, Uruguai e Chile. Estima-se que na América Latina haja 30 mil fiéis católicos armênios, sendo 16 mil na Eparquia argentina e os 14 mil restantes no Exarcado Apostólico da América Latina. Destes, 7 mil vivem no Brasil, concentrados especialmente nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

O principal desafio da Igreja Armênia na diáspora, como também de outras Igrejas orientais no Brasil, é a manutenção da identidade própria. Dom Vartan ressaltou que é um constante desafio atender pastoralmente as comunidades armênias católicas espalhadas em grandes cidades. “As novas gerações de armênios já não possuem os intensos sentimentos armênios de seus pais e avós. Mesmo com relação à fé, muitos dos que a vivem participam da paróquia latina mais perto de sua residência. Em toda América Latina, temos somente uma escola armênia católica. Torna-se difícil manter a identidade de um povo sem transmitir-lhe a cultura própria”, disse.

Nova sede em São Paulo

Como visto acima, em decreto publicado no dia 22 novembro de 2016, a sede do Exarcado Armênio na América Latina e México, que até então ficava em Buenos Aires, foi transferida para São Paulo.

No dia 2 de abril de 2017, a Igreja São Gregório o Iluminador, na Avenida Tiradentes, 718, no Bairro Luz, foi elevada à Catedral e Sede da referida circunscrição eclesiástica, durante a celebração litúrgica presidida pelo Exarca Dom Vartan Waldir Boghossian, que contou com a presença do Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo. Após a missa da oficialização da sede aconteceu a inauguração da fachada da Catedral. “Na nova e artística parede da entrada, a Cruz e algumas letras armênias cinzeladas no metal indicam justamente os dois pilares da identidade armênia: a fé e a cultura”. Também foi abençoado o Memorial do Genocídio Armênio. “O memorial contém uma imponente e artística Cruz de Pedra, trazida da Armênia. Abriga ainda uma relíquia de mártires armênios do genocídio, trazida do deserto da Síria, onde ocorreu a morte de milhares de fiéis”, relatou Dom Vartan.

Novo bispo Dom Paulo León Hakimian

Dia 7 de outubro, Dom Paulo León Hakimian deu início ao seu trabalho pastoral na Eparquia de São Gregório de Narek de Buenos Aires. Domingo, dia 21 de outubro de 2018, na Catedral São Gregório Iluminador, foi celebrado o Início do Ministério Pastoral como Exarca Apostólico.

Em sua carta Prot. BR-20A/18, de 4 de julho de 2018, Dom Vartan anunciou sua renúncia e a nomeação de Dom Hakimian, exercendo o cargo de Pároco da Catedral Armênia Católica Nossa Senhora de Narek. Nesta mesma data, o Papa Francisco nomeou o Pe. Paulo Hakimian, de 64 anos, como novo Eparca de São Gregório de Narek, em Buenos Aires e Exarca apostólico para os armênios católicos da América Latina e México. Foi ordenado Bispo no dia 29 de setembro, na Igreja São Nicolau de Toletino do Pontifício Seminário Armênio Levonian, em Roma.

Dom Hakimian é o segundo Bispo armênio na Argentina, sucedendo a Dom Vartan Waldir Boghossian, que estava à frente da Igreja Armênia Católica no país durante mais de 30 anos e teve seu pedido de renúncia aceito pelo Papa, por motivo de idade.

Dom Paulo Léon Hakimian nasceu na cidade do Cairo, Egito, em 11 de novembro de 1953. Em 1967, mudou-se para Argentina com a família. Após sentir o chamado para a vida sacerdotal, em 1976 ingressou no Pontifício Seminário Armênio Levonian de Roma, e por lá, realizou estudos de Patrologia e Liturgia armênia.

No dia 14 de agosto de 1981, foi ordenado sacerdote durante a Festa da Assunção da Virgem Maria por Dom Hovannes Kasparian, então Arcebispo de Bagdad, na Catedral Armênia Católica Nossa Senhora de Narek, em Buenos Aires. Depois de ser ordenado, regressou a Roma para completar seus estudos na Universidade Santo Tomás de Aquino, fazendo especialização em Pastoral Social. Em agosto de 1982, voltou em definitivo à capital argentina, na qual exerceu o sacerdócio como vice-pastor de Nossa Senhora de Narek, no bairro Palermo. Em 1985 serviu por dois anos a Paróquia Armênia Católica de São Paulo. Durante esse tempo, acompanhou Dom Vartan em visitas às comunidades armênias na Venezuela, México, Chile e Uruguai.

No ano de 2002, o Patriarca armênio Nersés Bedrós XIX nomeou Dom Paulo como Administrador patriarcal para a Eparquia Armênia do Egito, cargo que desempenhou durante nove meses, antes de ser enviado a São Paulo.

Desde março de 2005 é novamente pároco de Nossa Senhora de Narek, com atenção da comunidade armênia católica da Argentina, e capelão do Colégio Armênio Mekhitarista, em Buenos Aires. Foi nomeado Bispo em 04 de julho de 2018.

Dom Paulo será responsável por 30 mil Armênios Católicos da América Latina, sendo 14 mil que pertencem ao Exarcado, que abrange o Brasil, Uruguai, Chile, Venezuela e México e 16 mil que vivem em território da Eparquia Armênia Católica da Argentina.

O escudo episcopal de Dom Paulo tem a seguinte composição: N. S. Aparecida – Padroeira do Brasil, onde está a sede do Exarcado Apostólico da América Latina; N. S. de Luján: Padroeira da Argentina, onde está a sede da Eparquia São Gregório de Narek; pirâmides do Egito e Sagrada Família – terra, onde seus pais se conheceram e formaram família, aí nasceu; bastão sacerdotal e episcopal – símbolos do Pastor, como Sacerdote e Bispo; cruz Armênia – Cristo, cabeça da Igreja, deu sua vida pela salvação da humanidade; cachos de uva – ao sangue derramado por Cristo se une o dos nossos Mártires do Genocídio de 1915; lema – amor e misericórdia: duas luzes do Evangelho que o guiarão na missão de pai e pastor.

Posse de Paulo León Hakimian

Dom Paulo León Hakimian, novo bispo dos armênios católicos da América Latina, assumiu oficialmente o Exarcado Apostólico Armênio, no domingo, 21 de outubro, na Catedral Armênia Católica São Gregório o Iluminador, Avenida Tiradentes, 718, Luz, São Paulo. A celebração começou às 11 horas com a entrada dos celebrantes, seguida da saudação de Dom Vartan. Com a leitura da bula pontifícia, Dom Vartan entregou a Dom Hakimian o báculo episcopal simbolizando a nova missão que lhe foi confiada por Cristo por meio da mediação do Santo Padre.

A Santa Missa foi presidida pelo novo Exarca e foi toda cantada e celebrada no rito armênio. Em sua homilia, Dom Paulo falou sobre seu novo ministério na Igreja de Cristo e enfatizou a importância de os armênios serem cristãos, pois a Armênia foi a primeira nação que adotou a fé cristã como religião oficial e sempre foram muito fiéis, mantendo uma identidade de fé e de rito muito destacada. “Um armênio que não é cristão não verdadeiro armênio”, enfatizou ele, que também fez uma menção especial ao genocídio de seu povo no ano de 1915, o que deve motivar ainda mais a fidelidade dos armênios à sua Igreja. Para Dom Hakimian, o maior desafio de sua missão é chegar às famílias que estão longes da Igreja. “No início, quando as famílias armênias chegaram à América Latina se concentravam próximas da Igreja. Com o tempo, o povo se dispersou e vão à Igreja só em ocasiões festivas ou para batizar uma criança ou se casarem. Precisamos criar ocasiões para que essas pessoas vivam sua identidade, liturgia e tradição”, afirmou. Outro desafio é formar comunidades em todos os países abrangidos pelo Exarcado. Para isso, Dom Paulo salientou a necessidade de vocações sacerdotais para que haja padres que acompanhem os fiéis. Atualmente, o Exarcado conta com dois padres seculares, além de um padre religioso e um do Caminho Neocatecumenal como colaboradores.

Dom Paulo também revelou que quando recebeu a notícia de sua nomeação episcopal sentiu alegria e, ao mesmo tempo, medo. “Humanamente, qualquer padre fica feliz. É como um dom que Deus nos dá para continuar a nossa missão. Mas, depois, refleti que os bispos são sucessores dos apóstolos e, historicamente, quase todos os apóstolos acabaram sendo mártires. Então, também senti medo, pois começo a viver um martírio. Mas confio em Deus que nos dará forças para servir o nosso povo, mantendo viva a milenar identidade armênia”, afirmou.

A celebração contou com a presença do Cardeal e Arcebispo de São Paulo Dom Odilo Scherer, do Arcebispo Metropolita da Igreja Católica Ucraniana no Brasil Dom Volodemer Koubetch, do Administrador Apostólico da Eparquia Greco-Melquita e Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo Dom Sérgio de Deus Borges, do Diácono representante da Igreja Maronita, do Primaz da Diocese da Igreja Apostólica Armênia do Brasil Dom Nareg Berberian, representantes da Igreja Ortodoxa Antioquina do Brasil e da Igreja Evangélica Armênia. A solenidade foi acompanhada ainda pelos sacerdotes do Exarcado: Pe. Antonio Francisco Lelo, protosincelo do Exarcado, o arcipreste Antonio Ketchedjian, pároco do Uruguai e Pe. Genaro Lusararian, vigário paroquial de Montevidéu. Compareceram também a Cônsul-Geral Honorária da Armênia em São Paulo Hilda Diruhy Burmaian e representantes de entidades civis armênias, amigos e familiares de Dom Paulo, além de centenas de fiéis.

Ao final, Dom Vartan Waldir Boghossian deu sua palavra como Exarca Emérito. “Foram 37 anos de ministério episcopal desde quando São João Paulo II criou o Exarcado. Aos 75 anos, eu tive que renunciar, como exige o Direito Canônico, mas o Papa Francisco, que me conhece desde Buenos Aires, sabendo de minhas boas condições de saúde, pediu que eu continuasse e somente agora, três anos depois, aceitou a minha renúncia”, disse o Exarca Emérito. “Procurei servir aos dois pilares da identidade armênia na América Latina: a fé e a cultura, que são quase sinônimos. Procuramos alimentar essa chama de ‘armenidade’ no continente, nós que já estamos na terceira geração”, acrescentou, recordando que, no período de seu episcopado, aconteceram celebrações importantes, como o centenário do massacre de 1,5 milhão de armênios por parte dos turcos-otomanos em 1915, reconhecido pelo Papa Franisco como o primeiro genocídio do século XX.

Os Bispos presentes foram convidados a darem a bênção final junto com Dom Hakimianin. Este fez seus agradecimentos e foi calorosamente cumprimentado pelos celebrantes, familiares e fiéis, todos convidados para o coquetel de confraternização servido no salão nos fundos da catedral.

Parabéns, Dom Paulo, e muitas bênçãos divinas em seu pastoreio!

Secretariado Metropolitano

Fontes: Vaticano, O São Paulo, Canção Nova, Gaudium Press, Paroquia Armênia.