Igreja ucraniana de Rio Azul reestilizada

A principal festa do ano – em louvor à Padroeira Santa Terezinha do Menino Jesus –realizada pela comunidade católica ucraniana de Rio Azul, pertencente à Paróquia de Malllet, sempre favoreceu uma movimentação maior, tanto material quanto espiritual. E este ano a solenidade foi especialmente marcante, porque foi aproveitado o domingo da festa popular para a inauguração das novas torres e cúpulas da igreja. Isso aconteceu domingo, dia 14 de outubro de 2018.

Já há vários anos, a solenidade é profundamente enriquecida pela espiritualidade, dentro de uma programação estruturada em torno da novena em honra de Santa Terezinha. Interessante notar que não somente a comunidade católica ucraniana de Rio Azul, mas também a comunidade católica latina participa intensamente da novena, demonstrando grande admiração e veneração pela grande Santa de Lisieux e também buscando ajuda divina pela sua intercessão.

Todo ano é publicado um folder com o programa da novena e várias orações relacionadas à Santa: para alcançar graças por sua intercessão; novena milagrosa de Santa Terezinha das Rosas; oração pelos missionários; para alcançar graças por intercessão da Padroeira. A temática das pregações segue o tema do ano proposto pelo Projeto Paróquia Viva, que este ano tratou a Liturgia e a vida de oração.

A novena foi, então, realizada dentro do programa seguinte: 1º dia 22 de setembro: tema – Divina Liturgia – fonte e ápice da vida da Igreja, com o celebrante Pe. José Ratuzsnei, OSBM, que celebrou a Divina Liturgia e fez a bênção dos enfermos e dos medicamentos; 2º dia 23 de setembro: tema – Proskomedia – Liturgia preparatória, com o celebrante Pe. Sandro Daniel Dobkowski, que fez a bênção dos jovens; dia 24 de setembro: tema – Ektenia da paz, com o celebrante Pe. Josafat Roiko, que fez a bênção dos casais com renovação do Matrimônio; 4º dia 25 de setembro: tema – Antífonas, com o celebrante Pe. Josafat Firman, que fez a bênção da água; 5º dia 26 de setembro: tema – Leitura da Sagrada Escritura, Leitura do Evangelho, Homilia, com o celebrante Pe. Vassilio Burko, que fez a bênçãos das crianças; 6º dia 27 de setembro: tema – Pré-Anáfora, com o celebrante Pe. Irineu Vasselkoski, que fez a bênção das chaves e objetos de trabalho; 7º dia 28 de setembro: tema – Anáfora – Consagração, com o celebrante Pe. Ricardo Mazurek Ternovski, que fez a bênção das velas; 8º dia 29 de setembro: tema – Rito da Santa Comunhão, com o celebrante Pe. Juliano Cezar Rumoviski, que fez a bênção dos objetos devocionais; 9º dia 30 de setembro: tema – Rito da Despedida da Divina Liturgia, com o celebrante Pe. Joaquim Sedorowicz, que fez a bênção das Rosas e a Unção dos fiéis com os Santos Óleos.

Tendo bons líderes, primeiramente os Padres – atualmente o Pároco Irineu Vasselkoski e o Vigário Paroquial Clayton M. Katerenhuk, que atende mais diretamente a comunidade; e depois os paroquianos que são membros do Conselho Administrativo Paroquial (CAP), do Movimento do Apostolado da Oração, da Pastoral Catequética, do Grupo Folclórico Dunai; lembrando também a presença e atuação muito significativa das Irmãs Catequistas de Sant’Ana; providenciando os recursos necessários e sempre buscando preservar os valores da Igreja Católica Ucraniana e das tradições culturais e folclóricas ucranianas; a comunidade decidiu estilizar a fachada da igreja, melhorando sua arquitetura. Para isso, foram construídas três novas e bem mais altas torres sobre as quais foram recolocadas as três cúpulas já existentes. Também foi melhorada a entrada da igreja. Baseando-se sobre o modelo de uma igreja na Ucrânia, a Engenheira Civil Diana Serbai e o Arquiteto Urbanista Robson J. Schmitz de Irati foram os responsáveis pela obra. Os trabalhos, iniciados em 3 de novembro do ano passado, foram efetuados pelos construtores Hélio Mikoski – mestre de obras, Sergio Wenger, Cleverson Estankiewicz e Diego dos Santo. As chuvas recentes atrapalharam um pouco. O ícone da fachada em mosaico não foi concluído.

Para a inauguração e bênção da reforma da igreja em sua fachada reestilizada, esteve presente o Arcebispo Metropolita Dom Volodemer Koubetch. Sendo do gosto das comunidades interioranas, às 6 horas, houve uma estrondosa alvorada, acompanhada pelo som dos sinos do alto campanário. Às 09h30min, devido ao tempo frio, nebuloso e chuvoso, a recepção e celebração da bênção e inauguração se deu no amplo pórtico (“babinetz”, entrada). Seguindo fielmente as tradições ucranianas, a comunidade fez uma homenagem ao Metropolita. Os catequizandos cantaram a canção “Radiemo u Hospodi” e três deles – José Augusto Andreiko, Andrey Firman e Ana Flávia Roiko Duda – declamaram versos de saudação. O Presidente-Executivo Sr. Antônio Andreiko e sua Esposa Sra. Ivani saudaram o Metropolita com pão e sal, com palavras de agradecimento e reconhecimento. “Desejamos ao Sr. Arcebispo Metropolita Volodemer felicidade, paz e bem. Que a nossa Padroeira Santa Terezinha lhe envie abundantes graças e saúde para o vosso trabalho pastoral na messe de Cristo”, finalizou seu discurso o Sr. Andreiko. Em seguida, se fez o desatamento da fita inaugural e foi oficiada a bênção das torres e cúpulas da igreja reformada, centralizando-se sobre as cruzes, que são os elementos simbólicos principais da fé católica e da arquitetura das nossas igrejas.

Adentrando a igreja, deu-se início à Solene Divina Liturgia Pontifical, concelebrada pelo Vigário Paroquial, com o serviço litúrgico do Diácono João Basniak de Mallet e dos Seminaristas maiores de Curitiba. A cantoria ficou por conta dos cantores da comunidade, dirigidos pela Ir. Arcenia Rudek, ICSA, tendo o auxílio de alguns Seminaristas.

Em sua homilia, Dom Volodemer lembrou os Santos Padres do VII Concílio Ecumênico, Niceia II, e seu significado para a doutrina dos ícones e imagens; comentou o simbolismo da iconografia referente à Santa Terezinha; e interpretou as duas leituras com o testemunho espiritual da Santa Padroeira. Santa Terezinha é um exemplo de fidelidade a Deus, que se traduziu na “infância espiritual”, no “heroísmo de pequenez”. Ela se fez pequena para que Deus se tornasse grande; se fez nada para que Deus se tornasse tudo; se fazia ausente para que Deus se tornasse presente. Assim, sua alma era forte; ela cultivou a virtude da fortaleza pela qual superou os maiores sofrimentos. “Amar, sofrer e sorrir sempre” – era seu método da vida diária vivida na maior simplicidade possível.

No final da Divina Liturgia, o Vigário Paroquial Clayton tomou a palavra e agradeceu pela presença do Arcebispo, aquele que pastoralmente representa o Cristo e cria a unidade eclesial. Ele também agradeceu à comunidade pelos trabalhos e conquistas.

A solenidade prosseguiu com a festa popular, animada pelo conjunto musical Sandro Oliveira – Grupo Fole Solto, com comidas típicas ucranianas e outras iguarias, leilão com Gerson Morais e sorteio de rifas, sendo que a principal foi a de um fusca. Apesar do tempo, a participação foi muito boa e os festeiros não perderam o ânimo.

Parabéns, Comunidade Ucraniana de Rio Azul! Que a vossa Padroeira vos ilumine sempre!

Texto: Secretariado Metropolitano

Fotos: Ana Paula Bihuna