Encontro regional do MEJ

No dia 30 de setembro aconteceu o XV Encontro Regional do MEJ – Movimento Eucarístico Jovem na Paróquia Transfiguração de Nosso Senhor, em Ponta Grossa, com a participaram das seguintes comunidades: Bairro Alto, Bley Pombas, Craveiro, Campo Largo, Catedral São João Batista, Dorizon, Martim Afonso, Ouro Verde, Pinheirinho, São Pedro, Pinhais, Ponta Grossa, Rio Azul e Vila Oficinas, totalizando 183 participantes.

O encontro iniciou-se com a introdução à Divina Liturgia em que foram apresentados os símbolos litúrgicos pelos adolescentes das comunidades. Em seguida, Ir. Aurélia Romankio, SMI com seus adolescentes fizeram a encenação do Nascimento de Jesus.

Prosseguiu a Divina Liturgia celebrada pelo Pe. Paulo Serbai, OSBM, Pe. Metodio Techy, OSBM e Pe. José Novossad, OSBM.

Após a proclamação do Evangelho, o Pe. Paulo Serbai, OSBM proferiu a homilia, lembrando as palavras de São Paulo, que esteve no céu. O pregador explicou aos mejistas a experiência mística do grande Apóstolo e apresentou-lhes algumas ideias fortes para a espiritualidade do movimento: São Paulo viu o que os olhos não viram, o que o coração não sente. Estamos numa celebração litúrgica, estamos no céu. Estamos rezando como Igreja – a Igreja de Cristo. Aqueles que estão no céu são também Igreja. Nós aqui da terra e os que estão no céu formam uma unidade. Somos Igreja, vivemos como Igreja, onde não existe rico ou pobre, porque formamos uma unidade. Viver bem a vida litúrgica é como que viver o céu aqui na terra: amar como Deus ama, e Ele ama até os inimigos, não só os que estão no céu, as pessoas escolhidas aqui na terra, mas ama todos nós. Deus nos inspira para viver na gratuidade, a amar os simpáticos e os não simpáticos. Nós – os membros do MEJ somos amigos de Jesus. Deixemos que Ele nos ame. Esse amor nos torna filhos do Altíssimo e nos torna santos. Quem são os santos? São aqueles que amam com coração de Jesus. O Evangelho de hoje nos cutuca, questiona sobre o amor, o viver a Liturgia, a vida com os irmãos. Ninguém pode dar aquilo que não tem, dinheiro, comida… Podemos dar o amor, quando o amor de Deus está em nós.

Após a Divina Liturgia, os adolescentes da Paróquia Transfiguração de Nosso Senhor de Ponta Grossa fizeram uma apresentação sobre a importância da Bíblia, trazendo os respectivos símbolos.

Em seguida, o Pe. Paulo iniciou a sua palestra com a canção: “O Senhor é santo, Ele está aqui. O Senhor é santo eu posso sentir”. Ele discorreu sobre o tema da Paróquia Viva deste ano, que trata da Liturgia e vida de oração, focalizando principalmente a própria Liturgia, os ícones e a oração propriamente dita. Eis alguns pensamentos: Foi o Senhor que hoje trouxe cada um aqui. Vocês são amigos e amigas de Jesus. Todos nós somos amigos de Jesus. São Tarcísio morreu carregando a Eucaristia. Quem hoje comungou carrega Jesus Cristo. E continua carregando lá estiver: na família, na comunidade, na capelinha, na escola… Isso é Liturgia e vida de oração. Quando rezamos em casa, estamos com Deus. O que faz o templo importante é Deus que mora em nós. Por isso, é necessário comportar-se bem na casa de Deus: não chegar atrasado, desligar o celular, (no céu não precisa de celular…), não usar roupas provocantes, não rir, não distrair, não sair sem precisão, participar, cantar, crianças não devem correr dentro da igreja, não sair antes do final da Divina Liturgia. Ícones não são fotos, é presença de Deus que te olha e te convida e ajuda a rezar. Precisamos da força divina e nós a encontramos na oração. Então, é preciso encontrar um tempo para rezar.

Após o almoço, deu-se início às apresentações das Doze Festas Litúrgicas, que foram encenadas pelos adolescentes das diversas comunidades. Também teve algumas provas relâmpagos referentes às Festas. Não faltaram brincadeiras e sorteios de prêmios. Foi um dia muito alegre e proveitoso para todos.

Parabéns aos participantes do encontro que demonstraram seus talentos em fazer o melhor para representar os costumes, as tradições e contribuir na preservação da nossa cultura ucraniana e espiritualidade de sua própria localidade. Agradecemos a todas as Coordenadoras dos grupos do MEJ pelo esforço, dedicação e criatividade nas apresentações, que, de fato, agregaram conhecimento, envolvimento com a comunidade, despertaram a integridade, laços de amizades e fortaleceram o convívio entre os adolescentes mejistas.

Texto: Ir. Alice Bartoski, SMI

Fotos: Wilson Surmacz