Assembleia CNBB Sul 2 festiva e eletiva em Toledo

A Diocese de Toledo é uma divisão territorial da Igreja Católica no Estado do Paraná. Foi criada pela bula Cum venerabilis do Papa João XXIII, em 20 de junho de 1959, desmembrada da extinta Prelazia de Foz do Iguaçu, ocupando o oeste do estado. O território da diocese compreende 19 municípios: Guaíra, Terra Roxa, Palotina, Maripá, Mercedes, Nova Santa Rosa, Marechal Cândido Rondon, Quatro Pontes, Pato Bragado, Entre Rios do Oeste, Ouro Verde do Oeste, São Pedro do Iguaçu, Assis Chateaubriand, Tupãssi, Nova Aurora, Jesuítas, Formosa do Oeste, Iracema do Oeste e Toledo. A diocese é sufragânea da Arquidiocese de Cascavel, tendo como primeiro bispo Dom Armando Círio.

Entre os dias 17 e 19 de fevereiro de 2019, a diocese celebrou 60 anos de sua criação e, para destacar esta data, sediou a primeira assembleia anual da CNBB Sul 2. A celebração eucarística aconteceu na Catedral Cristo Rei, dia 17, domingo à noite, marcando também o início da Assembleia dos Bispos do Paraná. O Bispo diocesano Dom João Carlos Seneme presidiu a celebração e deu as boas-vindas aos irmãos de episcopado, afirmando: “Estamos muito contentes porque toda a Igreja no Paraná está presente aqui na nossa Diocese. Tivemos uma celebração muito bonita de acolhida que mostra a nossa caminhada de fé”. Ele acolheu a assembleia como um presente para a sua diocese: “Para nós foi uma bênção ter todos os bispos do Paraná aqui, celebrando na catedral, sentindo a fé do nosso povo e fazendo essa homenagem para nós. Então, a diocese se sente realmente agradecida a Deus pela presença dos bispos aqui, que marcou as nossas festividades nesses 60 anos da nossa caminhada de fé. Foi uma alegria e uma bênção de Deus”.

Ao final da celebração, os bispos, arcebispos e administradores diocesanos foram presenteados com um belo ícone de Cristo Rei, patrono da diocese, da paróquia catedral e do município de Toledo, trazendo uma releitura da imagem de Cristo Rei nas comemorações do jubileu diocesano. Produzida pelo artista plástico Antonio Batista de Souza Junior, de São Paulo, a obra confronta a imagem dos reis da história com suas coroas de ouro e pedras preciosas, cetro e trono com a imagem d’Aquele que os cristãos seguem. Cristo Rei do Universo é apresentado com a coroa de espinhos, o pergaminho e a cruz, tendo ao fundo a representação do firmamento.

A assembleia episcopal reuniu todos os arcebispos, bispos e administradores diocesanos do Paraná, contando também com a presença do Monsenhor Carlos José de Oliveira, nomeado para a Diocese de Apucarana. Participaram do evento os membros do episcopado que estão em quatro Províncias Eclesiásticas, sendo: Província de Curitiba, com 5 dioceses e 1 arquidiocese; Província de Cascavel, com 3 dioceses (dentre elas, Toledo) e 1 arquidiocese; Província de Londrina, com 3 dioceses e 1 arquidiocese; Província de Maringá, com 3 dioceses e 1 arquidiocese; Metropolia Católica Ucraniana São João Batista com sede em Curitiba e Eparquia sufragânea com sede em Prudentópolis.

Como sempre, o evento tem por objetivo refletir e avaliar a caminhada da ação evangelizadora da Igreja Católica no Estado do Paraná. Segundo Dom Mauro Aparecido dos Santos, Arcebispo de Cascavel e Presidente do Regional Sul 2 da CNBB, além de focar o essencial – “tudo o que vamos fazer é sempre visando o Reino de Deus para que se alastre no meio de nos” – a assembleia é também um tempo propício para que os bispos paranaenses possam se conhecer melhor e conviver fraternalmente. E para favorecer um momento mais intenso de convivência, foi dedicada a tarde da segunda-feira, 18, quando os bispos foram recebidos no Sítio São José – Rancho Fundo. Foi uma experiência muito boa a ser repetida, declararam os bispos.

Entre os vários assuntos que foram abordados, destacaram-se os seguintes: a revisão dos trabalhos do Regional em relação à Missão Católica São Paulo VI em Quebo, na Guiné-Bissau, África, com a presença de missionários paranaenses; a campanha “Cada comunidade uma nova vocação”, com incentivo ao surgimento de novas vocações para a Igreja (padres, religiosos ou religiosas); a campanha “A mim o fizestes”, que trata da motivação para a caridade cristã.

A assembleia foi também eletiva, durante a qual os bispos escolheram para conduzir o Regional nos próximos quatro anos: o Presidente – Dom Geremias Steinmetz, Arcebispo de Londrina, o Vice-Presidente Dom José Antônio Peruzzo, Arcebispo de Curitiba e o Secretário Dom Amilton Manoel da Silva, Bispo auxiliar de Curitiba. A nova presidência assumirá oficialmente a coordenação do Regional durante a 57ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil a realizar-se em Aparecida entre os dias 1º a 10 de maio de 2019.

Durante a assembleia ainda foram escolhidos ou confirmados os bispos referenciais para cada pastoral, organismo e movimento do Regional. Dom Edgar Ertl, Bispo da Diocese de Palmas-Francisco Beltrão, foi eleito representante da Arquidiocese de Cascavel (Arquidiocese de Cascavel e Dioceses de Foz do Iguaçu, Toledo e Palmas-Francisco Beltrão) no Conselho de Pastoral da CNBB Regional Sul 2 – Paraná. Também foram eleitos os bispos que irão compor o Conselho Episcopal de Pastoral (CEP): os representantes das Províncias Eclesiásticas (Curitiba, Maringá, Cascavel e Londrina) e o Conselho Fiscal: Curitiba – Dom Sérgio Arthur Braschi, Bispo de Ponta Grossa; Maringá – Dom Mário Spaki, Bispo de Paranavaí; Cascavel: Dom Edgar Xavier Ertl, Bispo de Palmas e Francisco Beltrão; Londrina – Dom João Manoel Francisco, Bispo de Cornélio Procópio; Conselho Fiscal: Dom Antônio Braz Benevente, Bispo de Jacarezinho; Dom Bruno Elizeu Versari, Bispo de Campo Mourão; Dom Celso Antônio Marchiori, Bispo de São José dos Pinhais. Dom Geremias exerceu o cargo de Vice-Presidente do Regional e membro do Conselho Permanente e da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB. Segundo ele, sua experiência até o presente momento foi um dos motivos pelos quais os bispos lhe confiaram essa missão. “Eu sou muito grato aos bispos pela confiança, pela amizade e, sobretudo, pela presença, troca de ideias, as bonitas discussões que a gente tem nas reuniões, isso nos dá força. Significa que vamos poder discutir conjuntamente as grandes questões e tomar decisões em conjunto, porque o presidente não age sozinho. Então, estou contente, feliz e vamos continuar trabalhando, junto com todo o trabalho que já tenho em Londrina, agora assumo também a presidência do Regional Sul 2 da CNBB”, afirmou Dom Geremias. Questionado sobre as prioridades ao assumir essa função, ele analisou que a experiência mostra a necessidade de dar passos no sentido de uma valorização maior das pastorais, organismos, movimentos e fazer com que o laicato seja cada vez mais firme e, “acima de tudo, tenha mais preparo”. Dom Geremias também acredita que é preciso pensar a questão econômica, sobre o financiamento de muitos trabalhos que o Regional tem. “Também, um desafio muito grande é o nosso trabalho missionário na Guiné-Bissau, África, assim como os trabalhos missionários de nossas dioceses aqui no Brasil. Mas, no geral, podemos dizer que as nossas dioceses estão muito bem, o trabalho no nosso regional vai bem, mas é preciso sempre permanecer atento para que possamos continuar crescendo”, afirmou o prelado.