Irmãs Servas de Maria Imaculada

CASAS DE FORMAÇÃO

Casa Provincial

Caixa Postal, 383
80011-970 CURITIBA – PR
Rua Martim Afonso, 575 ou 591
80410-060 CURITIBA – PR
Fone: 41 3322-1744
www.irmasmi.com.br
irmasmi@onda.com.br

Aspirantado – Casa Imaculada Virgem Maria   

Caixa Postal, 22
Rua Marechal F. Peixoto, 480
84570-000 MALLET – PR

Noviciado Nossa Senhora do Amparo

Caixa Postal, 23
Rua Ferreira Correa, 870
84460-000 IVAÍ – PR
Fone: 42 3542-1266 / 42 3247-1312
novicismi@yahoo.com.br

Casa de Retiro Madre Josafata Hordachevska

Colônia Eurídece
Caixa Postal, 1594
84071-980 PONTA GROSSA – PR
Fone: 42 3228-9996 / 42 9981-5511

Colégio Imaculada Virgem Maria

Caixa Postal, 11
Rua Cândido de Abreu, 1895
84400-000 PRUDENTÓPOLIS-PR
Convento: 42 3446-1283
Colégio: 42 3446-1391
civm@visaonet.com.br

História

A Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada foi fundada no ano de 1892 na Galícia, Ucrânia Ocidental, que então constituía uma província do império Austro-Húngaro. Essa foi a primeira Congregação de vida ativa apostólica a surgir na Igreja Oriental.

A Ordem dos Padres Basilianos sofreu, a partir de 1982 uma reforma em sua estrutura interna o que veio a lhe trazer nova vida e um renovado fervor missionário. Os missionários basilianos logo se deram conta da indigência espiritual de seu rebanho, o povo passava graves necessidades. Havia, pois uma urgente necessidade de fundar uma Congregação cujos membros pudessem viver no meio do povo e atender às suas necessidades sociais, culturais e religiosas.

Em maio de 1891, os Padres Basilianos estavam pregando missões na aldeia de Zhuzhel, distrito de Sokal. Naquela ocasião, um grupo de moças da paróquia dirigiu-se ao Pe. Jeremias Lomnytsky, manifestando-lhe o desejo de ingressar na vida religiosa. O padre sentiu, então, que tinha chegado o momento oportuno para dar início a uma primeira Congregação feminina de vida ativa, que viesse a trabalhar no meio do povo ucraniano.

O Padre Lomnytsky estava convencido que este empreendimento não podia ser realizado pelos basilianos sozinhos. Havia o Padre Cirilo Seletsky de concordar em abrir em sua paróquia o primeiro convento e assumir os procedimentos jurídicos para formar uma Congregação. Obtida a autorização e a benção dos superiores, ambos os sacerdotes puseram-se em primeiro lugar a elaborar um estatuto para a nova congregação. Após ter entrado em acordo com o Pe. Seletsky, Pe. Lomnytsky tomou uma importante decisão: iria propor a uma jovem de Lviv, Miquelina Hordashevska, que desse início às Irmãs Servas de Maria Imaculada. Miquelina que já havia lhe confiado o desejo de se tornar uma religiosa, concordou com a proposta do sacerdote, abraçando com coragem e confiança a sua vocação.  Ela passou de junho de 1891 a agosto de 1892 – na casa das Irmãs Felicianas em Zhovkva, aprofundando-se na vida religiosa, estudando e assimilando o espírito peculiar de consagração numa Congregação de vida apostólica ativa.

Aos 24 de agosto de 1892, Miquelina, recebeu o hábito azul que ela mesma tinha confeccionado, adotando o nome religioso de Josafata. A noviça Josafata retornou a Zhuzhel para fazer os preparativos da inauguração e benção da primeira casa e acolher as primeiras postulantes.

No dia 27 de agosto de 1892, festa da Assunção de Nossa Senhora, a igreja de Zhuzhel estava lotada de paroquianos e visitantes que desejavam estar presentes no ato da fundação da nova Congregação. Sob a guia da irmã Josafata, as sete Irmãs deram início à missão apostólica. O apostolado formativo-educativo das Irmãs Servas começou em um depósito reformado em Zhuzhel. Durante o dia, o prédio servia de jardim de infância e às noites aí se reuniam jovens e adultos para aprenderem cantos litúrgicos, para fazer a leitura da Sagrada Escritura e de outros manuais de vida espiritual. As jovens “samaritanas” também se puseram a atender os doentes e necessitados de Zhuzhel e por toda a Galícia.

A Congregação se tornou uma instituição de direito pontifício aos 27 de junho de 1932. Por esta ocasião, as Constituições foram revisadas e aprovadas em caráter experimental para um período de sete anos. A Congregação foi dividida em três Províncias, sendo que cada uma delas deveria ser dirigida por uma Superiora Provincial e seu Conselho. As Províncias deveriam depender da Superiora Geral e seu Conselho, a quem caberia a superintendência de toda a Congregação.

Os primeiros imigrantes ucranianos chegaram ao Brasil, no ano de 1891. Em 1910, foi realizado em Curitiba, um congresso geral dos imigrantes ucranianos católicos, que tinham por finalidade discutir a organização de sua vida religiosa e cultural. Após o Congresso, o superior da missão, Pe. Clemente Bzhuchovsky, voltou à Galícia decidido a convencer as Irmãos Servas aceitarem a assumir a missão apostólica no Brasil. A Superiora Maior da Congregação concordou em enviar as Irmãs ao Brasil. Das sete Irmãs que foram escolhidas para viajar, três tinham se apresentado voluntariamente. Irmã Valdomira Pinhonjek, superiora, Ir. Anatólia Bodnar, Ir. Sofia Ramach e Ir. Eumélia Klapouchak, foram designada para Prudentópolis. Irmã Olga Lukash, superiora, Ir. Helena Kucher e Ir. Salomia Kovalyshyn, iriam para Iracema.

As sete Irmãs chegaram ao Porto de Santos, no Estado de São Paulo, aos 05 de abril de 1911. Em Santos, as Irmãs tomaram um trem a Ponta Grossa, onde se separaram das três que dirigiam-se a Iracema no Estado de Santa Catarina.

A Província foi fundada com a chegada das sete Irmãs Servas de Maria Imaculada no dia 11 de abril de 1911. No ano de 1934 as Irmãs da Galícia, Canadá e Brasil, tomaram parte no primeiro Capítulo Geral em Lviv. Neste Capítulo, as Irmãs representantes das Províncias escolheram os respectivos padroeiros para cada Província: Galícia – Nossa Senhora das Dores; Canadá – Cristo Rei: Brasil – São Miguel Arcanjo.

A sede Provincial do dia 11.04.1911 até o dia 11.05.1979 era em Prudentópolis e a partir desta data, foi transferida para Curitiba – Paraná.

Carisma e espiritualidade

A Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada tem por finalidade constituir uma comunidade de amor, fundamentada nos votos da Castidade, Pobreza e Obediência.

Aprofundamento da devoção à Maria Santíssima, Imaculada, Padroeira da Congregação. Vivência do espírito do Evangelho.

A Identidade e a característica específica de uma Congregação é o seu Carisma. As Irmãs Servas de Maria Imaculada são chamadas para a Vida Consagrada em Comunidade orante e fraterna para que, na alegria, na simplicidade, hospitalidade, modéstia e humildade sejam Servas de Deus, da Igreja e do povo. As Irmãs Servas de Maria Imaculada possuem o seu modo próprio de ser e agir exercem a sua missão, segundo a evolução dos tempos, atendendo às necessidades mais prementes e fundamentais da Igreja.

Casas

A Congregação possui cerca de 50 residências, com destaque aos estabelecimentos de trabalho, descritos mais abaixo, e às casas de formação.

Noviciado: foi criado no dia 02 de fevereiro de 1915, em Prudentópolis, permanecendo ali até o dia 01 de outubro de 1981, data em que o mesmo foi transferido para a cidade de Ivaí – Paraná.

Casa de Oração Josafata Hordashevska em Ponta Grossa – Paraná.

A Formação permanente das Irmãs Servas de Maria Imaculada é realizada por grupos organizados pelo Conselho Provincial, tendo por base as “Normas Gerais da Formação da Irmã Serva de Maria Imaculada”, feitas para toda a Congregação, sempre por ocasião dos retiros realizados na Casa de Oração Josafata Hordashevska.

Atividades

A vida inteira das Irmãs Servas deve estar imbuída de espírito apostólico e todos os seus esforços devem provir de uma verdadeira união com Cristo. As Irmãs dedicam-se às atividades educativas em todos os níveis. Pastoral da Educação: oferecendo e desenvolvendo a educação básica, formada pela educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. Uma das principais atividades apostólicas da Congregação é a Catequese; Apostolado de Oração, Juventude. Pastoral da Saúde: prestam atendimento aos doentes em hospitais públicos ou particulares, nos Postos de Saúde. A Congregação tem por finalidade a educação, a assistência social e a assistência à saúde, se empenham na promoção da infância, da adolescência, da juventude, de idosos. Cuidam da beleza das casas de Deus – igrejas; confeccionam vestes litúrgicas.

Pastoral Vocacional: atua nas Regionais sob o comando da Coordenadora Vocacional eleita pelas comunidades da referida região. Todas as Coordenadoras Vocacionais atuam de acordo com o Projeto da Pastoral Vocacional. Este Projeto é feito em cada Regional em reunião com a presença de Irmãs de cada comunidade da respectiva regional. Todas as Irmãs são responsáveis e atenciosas para com as novas vocações da seguinte forma:

– Confeccionar o Projeto da Pastoral Vocacional e encaminhá-lo para a aprovação do Conselho Provincial.

– Acompanhar a execução deste Projeto nas regionais.

– Providenciar material vocacional.

– Organizar Encontros Vocacionais nas diversas regionais.

– Manter contato com as famílias das meninas vocacionadas através de visitas, diálogo.

– Manter o contato com a menina vocacionada que ainda está na sua família, através de visitas, cartas, etc.

– Atender a Pastoral Vocacional nas Escolas.

– Contínua satisfação, alegria e fidelidade na sua vocação.

– Valorizando, atendendo, zelando pelas vocações já existentes.

– Aproveitando todas as oportunidades para falar da vocação às crianças, jovens e adultos.

– Atendendo com amor e carinho as vocacionadas nas comunidades.

– Rezando diariamente pelas vocações em todas as casas – a oração “Lembrai-vos …”.

Estabelecimentos de Ensino-Educação: próprias – 15; do governo administradas pelas Irmãs – 06; total – 21.