Mafra

Paróquia de Mafraigreja-ucraniana-mafra

Da Paróquia de Mafra fazem parte as seguintes capelas: Guaramirim (Jaraguá do Sul); Itaiópolis (cidade); Joinville (cidade); Rio Negrinho (cidade); São Bento do Sul (cidade); Timbó (cidade); Volta Grande (Rio Negrinho).

A história da Paróquia e das Capelas e dados atuais serão oportunamente atualizados e elaborados.

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Rua Governador Jorge Lacerda, 164
89300-000 MAFRA – SC
Fone: 47 3642-8384

Pároco – Vigário paroquial: Pe. Jaime Fernando Valus, OSBM e Pe. Sérgio Taras Iwantschuk, OSBM.

Links

Igreja Ucraniana – Prefeitura de Mafra
XX Festival de Danças

HISTÓRIA

A criação deu-se aos 20 de agosto de 1972.

A 1ª igreja construída, em madeira, data do ano 1971-72. A 2ª, em alvenaria, do ano 1976-81.

Com a construção da nova residência e anexação da comunidade de Itaiópolis, que pertencia à paróquia de Iracema, a administratura de Mafra recentemente foi elevada ao status canônico de paróquia.

VIDA ECLESIAL E CULTURAL 

Pároco – Vigário paroquial: Pe. Jaime Fernando Valus, OSBM e Pe. Sérgio Iwantschuk, OSBM.

Residência Paroquial. Casa das Irmãs Servas de Maria Imaculada. Monumento ao Milênio da Oficialização do Cristianismo na Ucrânia.

Famílias: 120. Das famílias que participam, é possível sentir nelas um grande empenho em manter a cultura, a religiosidade e a igreja. Por isso,a nova paróquia de Mafra é o que é graças a essas famílias que se dedicam ao máximo para manter viva a comunidade ucraniana. Tanto está viva, que é reconhecida por toda a cidade pela sua cultura, rito e culinária.

Catequese: realiza-se aos sábados sendo ministrada pelas Irmãs Servas de Maria Imaculada como também por catequistas leigas. Aproximadamente 50 crianças estão inscritas. Destas, algo em torno de 10 a 20% são ucranianas. Da maioria, os pais não participam da nossa igreja, mas mandam seus filhos na catequese pelo fato que é comandada pelas Irmãs.

Movimento Eucarístico Jovem (MEJ): há um grupo um pouco mais engajado. Os participantes estão se reunindo com as Irmãs e acredita-se que seja o futuro do grupo de jovens.

Grupo de jovens: em formação; dificuldades: estudo, trabalho…

Cultos e devoções tradicionais: Durante a Quaresma – Via-Sacra, celebrações próprias da Semana Santa e tríduos de renovação espiritual. Durante o mês de Maio – tradicional novena (Maivka). No mês de junho – Novena ao Sagrado Coração de Jesus. No mês de outubro – Rosário comunitário. Periodicamente realizam-se missões a cargo dos Padres Basilianos.

Ação Social: Periodicamente, realizam-se festas e promoções apropriadas, tendo por finalidade a manutenção da Paróquia e de suas obras.Grupo da 3ª Idade.

Empreendimentos culturais:

– Grupo folclórico infanto-juvenil e adulto “Vesná” (Primavera). O grupo é conhecido em todo norte catarinense. É uma representatividade do nosso folclore no norte catarinense.

– Programa dominical “Um encontro com os ucranianos” pela Rádio São José.

– Coral misto com 14 cantores, formando um grupo bastante consistente, bom. Até mesmo já foi incentivado a que gravar um CD para que ficasse registrada na história da comunidade essa raridade em nossas comunidades: coral. E não é somente em coral que a comunidade de Mafra se destaca, mas todos os eventos em que é preciso demonstrar a arte de cantar, Mafra se sai muito bem. Prova disso está nas celebrações de Quaresma, Páscoa, Natal.

GUARAMIRIM 

HISTÓRIA

Primeira parte

Segundo o Pe. Arcenio Krefer, OSBM, há um bom tempo ouvia-se o comentário sobre a necessidade de uma visita às cidades de Joinville, Jaraguá do Sul e Guaramirim – cidades do estado de Santa Catarina, tendo em vista a presença de ucranianos na região para que se ofereça a eles uma assistência espiritual. Para esta visita alguns sacerdotes estavam destinados, mas, pela indisponibilidade, não puderam realizar a mesma. “Assim nos apresentamos: Eu, Pe. Arcenio Krefer, OSBM, e Pe. Geraldo Daciuk, OSBM, para fazer este primeiro contato com o povo da região. A mim foi destinado Jaraguá e Guaramirim. Para o Pe. Geraldo, Joinville. Com a aceitação donosso Superior Provincial Pe. MeronMazur, OSBM e a bênção donosso Eparca Dom Efraim Basílio Krevey, OSBM, seguimos a nossa missão”.

Joinville já tinha certa relação de famílias ucranianas. Em Jaraguá e Guaramirim, se quer sabia-se se existiam ucranianos.

Assim, pedi auxílio de hospedagem e orientação à família do Sr. José Tonkio, à qual possui uma chácara em Jaraguá do Sul. Em base da disponibilidade de ambas as partes, começamos a nossa missão com a seguinte programação:

21.05.05 – 11hs → Conversa com Pároco da Igreja São Bom Jesus de Guaramirim, Pe. Dejacir.

– 17hs → Participação na missa latina na igreja do Bairro Avaí. Logo após a missa, houve a apresentação de algumas famílias ucranianas bem como referências da localização de outras famílias. Neste mesmo dia, visitamos a casa do Sr. Miguel Hamulak.

22.05.05 – 8hs → Participação na missa da Paróquia São Bom Jesus de Guaramirim. Logo após, visita ao loteamento Schmidt e Vila Freitas, localizações apontadas por alguns paroquianos como sendo a localização dos ucranianos da região. Neste local, foi feita a visita de algumas famílias como: Basílio Kolaschnek e Teodósio Saplak que relataram a presença de mais umas 20 famílias na região.

Ao meio dia, fizemos a visita à rádio comunitária, na qual a programação daquele horário é feita por um ucraniano: Vitor Kolaschnek. Aproveitamos a ocasião e fizemos uma entrevista ao vivo na rádio apresentando a intenção de formar uma igreja ucraniana no local. Após a entrevista, alguns descendentes ucranianos ligaram para a rádio demonstrando sua alegria com a iniciativa.

Em base desta visita, viu-se a necessidade de uma visita à localidade com mais tempo. E assim foi programado para o final do mês de julho.

27.07.05 → Esta foi a data que iniciamos a visita às casas das famílias descendentes de ucranianos residentes em Jaraguá do Sul e Guaramirim. A centralização da visita estava no Loteamento Schmidt e na Vila Freitas, mas através de informações, teve-se acesso a outras famílias que, consequentemente, iam indicando outras e outras. Assim, chegamos ao final da semana (dia 30/07.05) com um total de 38 famílias visitadas. Deve-se destacar que o mérito para o sucesso destas visitas deve-se ao Sr. José Tonkio e ao Sr. Vitor Kolaschnek que conhecem a cidade e me acompanharam com o intuito de mostrar a localização dos endereços.

Neste período de visita às famílias, fizemos, também, a visita à Paróquia São Sebastião (igreja matriz de Jaraguá do Sul). Conversando com o Pe. Sildo (pároco), deixamos agendada uma entrevista com a imprensa local com o intuito de divulgar a presença e intenção de formar uma Igreja ucraniana no local, bem como divulgar a missa ucraniana na mesma matriz para o dia 05.09.05.

31.07.05 – 10hs → Aconteceu a primeira missa ucraniana na localidade. Foi na igreja latina São João Batista na Vila Freitas. Estiveram presentes nesta celebração o Pe. Sérgio Saplak, OSBM – Superior do Seminário do Batel – e os seminaristas Jonas Chupel, EutêmioDenichevicz e João Karpovicz Sobrinho. Para esta celebração houve a participação de umas 120 pessoas, sendo algumas do rito latino que vieram conhecer o rito oriental bizantino.

05.09.05 – 17hs → Esta foi a segunda missa celebrada. Agora em Jaraguá do Sul: Paróquia São Sebastião. O intuito dessa missa era fazer uma divulgação da mesma. Por isso foi cantada partes em ucraniano e partes em português. Também se fez a explicação das partes da missa para que melhor pudesse ser entendida pela comunidade latina. Para isto, novamente estiveram presentes os seminaristas do Batel (os mesmos da celebração anterior) que cantaram magnificamente. Porém, aconteceu um imprevisto da natureza: caiu um verdadeiro temporal naquele dia. Uma chuva intensa e forte impediu a participação das pessoas que se esperava. Disto, estiveram presentes 80 pessoas.

Ambas as missas (31.07.05 e 05.09.05) foram filmadas pela Marly T. Tonkio, sendo que alguns adquiriram a reprodução destas filmagens.

Tendo em vista a presença dos ucranianos e a sua participação nas celebrações, estabeleceu-se a continuidade das celebrações uma vez por mês, mais precisamente no quarto final de semana do mês. Assim ocorreu no mês de outubro. Para os outros meses, a data das celebrações passou para o último final de semana de cada mês.

28/3/2006: Dom Efraim faz uma visita à cidade de Guaramirim a fim de conhecer o terreno a ser comprado para futura construção de igreja da comunidade ucraniana e acertar detalhes sobre a compra do terreno com o Sr. Bruno Valcanaia. Dom Efraim contou com a colaboração nas negociações com o Sr. Bruno e sua esposa Esmeralda, das seguintes pessoas: Pe. Arcenio Krefer, OSBM, Pe. Marcos César Andreiv, Sr. José Tonkio e Pedro Pereira da Silva.

20/04/2006: pagamento da primeira parcela do terreno adquirido do Sr. Bruno Valcanaia (16.000,00)

22/4/2006: Pe. Arcenio, José Tonkio, Basílio Kolachnek, Pedro Pereira e TeodozioSaplak: Verificaram detalhadamente o terreno a fim de programar o aplainamento.

Segunda parte 

            Após a escolha e compra do terreno, a mobilização da comunidade ucraniana de Guaramirim centrou-se na escolha do seu padroeiro. Para isto, realizou-se uma reunião nas dependências da Igreja São João Batista – Vila Freitas – Guaramirim, no dia 27 de maio de 2006, onde estiveram presentes vários membros da comunidade ucraniana da região. Após a apresentação do calendário litúrgico com realce aos dias santos de guarda feita pelo Pe. Arcenio Krefer, OSBM, a comunidade presente expressou suas ideias e apontou três festas litúrgicas como referência: Santíssima Trindade, São Lucas e Pokrov. Diante da necessidade de escolher somente uma festa, a decisão ficou a cargo de Sua Excelência Dom Efraim B. Krevey, OSBM, o qual optou pelo dia Santo dedicado a Nossa Senhora: Pokrov, porém com a tradução fiel à palavra expressa em ucraniano e ao significado do dia santo: “Proteção de Nossa Senhora”.

Com o sua Padroeira, a comunidade dá novos passos e em 26 de junho de 2006, através da carta pedido do Pe. Arcenio, Dom Efraim dá a sua Bênção Episcopal à primeira Comissão da Igreja formada pelos seguintes membros: Pedro Pereira da Silva (Presidente), Joel Schafranski (vice-presidente), TeodozioSaplak (Tesoureiro), Cláudio Martinhuk (vice-tesoureiro), Margareth Schafranski (secretária), Lídia Martinhuk (vice-secretária), José Tonkio, Samuel Martinhuk, José Schafranski, Emílio Martinhuk, Basílio Kolachnek, Vitor Kolachnek e Felipe Boris (Conselheiros), Nadir Kolachnek (cozinha).

12.11.2006 → encontro regional das Comunidades Ucranianas de Mafra, São Bento do Sul, Joinville, Guaramirim/Jaraguá do Sul, na comunidade “Proteção de Nossa Senhora” em Guaramirim. O intuito era que as comunidades de Rio Negrinho e Volta Grande estivessem presentes, mas por motivo de força maior estas não puderam ter seus representantes.

O tema do Encontro foi: A Igreja Ucraniana emergente na região com ênfase no Sagrado Coração de Jesus. O local do Encontro foi na Escola Germano Laffin, próximo da Igreja onde são rezadas as missas. O palestrante foi o Pe. Tarcísio Zaluski, OSBM Coordenador do Apostolado da Oração da Eparquia São João Batista, e foi auxiliado pelas Irmãs SMI e Catequistas do Sagrado Coração de Jesus. Estiveram presentes em torno de 130 pessoas entre crianças (que tiveram um encontro a parte comandado pela Ir. Júlia Denichevicz), jovens e adultos. O Encontro teve início às 8:30hs e terminou às 16hs.

Pe. Arcenio Krefer, OSBM

VIDAECLESIAL

Padroeira: Nossa Senhora Protetora.

Localização: Próximo a Jaraguá do Sul – Santa Catarina

Famílias:Atualmente, a comunidade conta com um número cada vez maior de ucranianos vindos do Paraná, principalmente Prudentópolis.

Catequese.Movimento Eucarístico Jovem.

ITAIÓPOLIS 

HISTÓRIA

A 1ª igreja, em madeira, foi construída entre os anos 1981-82.

A 2ª atual igreja, em alvenaria, deu-se entre os anos 1877-2001.132.

Recentemente, quando foi criada a Paróquia de Mafra, a comunidade de Itaiópolis passou a integrar a nova paróquia.

VIDA ECLESIAL

Localização: Distância da sede paroquial: 22 km.

Famílias: 132.

Padroeira: Nossa Senhora das Dores.

JOINVILLE

HISTÓRIA           

O trabalho pastoral na cidade de Joinville teve início com o Pe. Geraldo Emílio Daciuk, OSBM no dia 22 de maio de 2005.

A pedido do Pe. Provincial Meron Mazur, OSBM e com a bênção do Eparca do Efraim B. Krevei, OSBM, o Pe. Geraldo abdicou alguns finais de semana da sua Paróquia de Campo Mourão para atender as famílias ucranianas residentes em Joinville que vieram de variadas cidades do Paraná e Santa Catarina.

As primeiras celebrações ocorreram na Paróquia Santo Antônio, com o apoio do Pe. Renato dos Santos. A sequência de celebrações nesta paróquia são as seguintes: → 22/05/05; → 19/06/05; → 24/07/05

Posteriormente, optou-se pela celebração na igreja Sagrado Coração de Jesus (Pirabeiraba). Isto aconteceu no dia 04/09/05. Esta celebração foi para apresentar o Pe. Arcenio Krefer, OSBM que irá atender de agora em diante a comunidade ucraniana de Joinville assim como já o está atendendo em Jaraguá do Sul e Guaramirim.

As demais celebrações previstas, uma vez por mês e sempre no último domingo do mês, passaram a ser, por complicações internas da Paróquia Santo Antônio, na igreja Nossa Senhora Aparecida. Disto, a sequência das celebrações é a seguinte: → 23/10/05: celebrada pelo Pe. Arcenio Krefer, OSBM; → 27/11/05: celebrada pelo Pe. Sérgio Saplak, OSBM.

No mês de janeiro, a celebração ficou a cargo do Pe. Geraldo, o qual visitou as famílias com bênção de suas casas. Disto somou-se a visita a 80 famílias.

É importante destacar que desde o início da atividade pastoral, a ajuda do Sr. AglaertesBobato e da sua esposa Cecília Hiuda foi de suma importância, pois estes disponibilizaram a sua residência para a hospedagem do padre bem como a orientação de tráfego na grande cidade de Joinville.

23/4/2006 → Contato com a Prefeitura.

Pe. Arcenio Krefer, OSBM

VIDA ECLESIAL

Padroeiro: São Nicolau.

A maior dificuldade do momento está na aquisição do terreno para a construção da igreja própria. 

RIO NEGRINHO 

HITÓRIA

Em 2006 fiquei conhecendo a comunidade de Rio Negrinho – SC. E isto aconteceu no período de bênção de casas, quando me falaram que havia ucranianos nesta cidade e é costume do padre visitar as famílias. Fato importante é que, eu imaginava que a cidade teria uma 10 ou 15 famílias descendentes de ucranianos, mas quando iniciamos a visita às casas, vi que são mais de 30 famílias.

Nestas visitas às famílias, algumas manifestaram o interesse de que se rezassem Missas ucranianas na região. Então sugeri que analisassem alguma igreja. E logo veio a resposta via e-mail, transmitida pela Sandra Miretzki de que poderíamos utilizar a igreja Santa Rita de Cássia. Devido às programações previstas, não iniciamos as celebrações logo após as negociações ocorridas no mês de março, mas somente em junho de 2006. Isto ocorreu no primeiro sábado do mês e assim é até os dias de hoje e que já completamos um ano de celebrações.

VIDA ECLESIAL

A comunidade não tem organização nenhuma no sentido de comunidade ucraniana: comissão, grupos específicos, padroeiro, mas comparecem às Missas e demonstram satisfação em manter o rito e a cultura ucraniana.Nesta comunidade, seria interessante lançar-se no futuro para um compromisso maior: talvez ter sua própria igreja e, consequentemente, tudo o que a ela pertence: Apostolado da Oração, Movimento Eucarístico Jovem, Congregação Mariana, Catequese…

Pe. Arcenio Krefer, OSBM

SÃO BENTO DO SUL

HISTÓRIA 

A Comunidade Ucraniana Exaltação da Santa Cruz, localizada na cidade de São Bento do Sul, SC, constitui-se de aproximadamente 100 famílias cadastradas (famílias em que se passa com a visita de bênção de casas).

O início exato da comunidade não sei com precisão em que ano aconteceu. Mas conforme comentários do pessoal, a igreja na qual atualmente reza-se as Missas, foi construída provisoriamente há uns 23 anos. Disto pode-se imaginar que a comunidade tem este período de existência.

A dificuldade em precisar algo sobre a comunidade de São Bento (com este nome que é mais conhecida por todos), deve-se ao fato de não se ter documentos (atas, histórico…) sobre a comunidade. É possível que haja livros, mas estão dispersos, talvez nas famílias. Sobre esta problemática de documentação dos fatos mais importantes da comunidade, estamos atualmente procurando relatá-los em atas para que sejam lembrados como fatos históricos.

A nova igreja em alvenaria foi inaugurada pelo Eparca Dom Volodemer Koubetch, OSBM no dia 8 de novembro de 2009.

Pe. Arcenio Krefer, OSBM

VIDA ECLESIAL 

            Padroeiro: Exaltação da Santa Cruz.

Localização: Distância da sede paroquial: 68 km.

Atualmente, há um desenvolvimento da comunidade em todos os sentidos os quais estavam esquecidos. Desta forma, há certa reestruturação do Apostolado da Oração, início do Grupo MEJ, Comissão de Igreja… Sobre grupo de jovens, acredita-se neste grupo do MEJ que está iniciando. Nele será a base para um grupo de jovens forte.

TIMBÓ

 Não foi encontrado nenhum material informativo no Arquivo Metropolitano (eletrônico ou impresso).

VOLTA GRANDE

HISTÓRIA

Conforme relatos dos pioneiros da comunidade, as primeiras missas foram rezadas pelos anos 1977 pelo Pe. Pedro Baltzar, OSBM. Posteriormente foi construída uma igreja de madeira, em 1978, que está até os dias de hoje.

Quando assumi o atendimento à Mafra em 2005, Volta Grande era atendida pelos Padres de Iracema. Anteriormente, no tempo do Padre Jayme e Ivo, era atendida por Mafra. E assim foram várias vezes que Volta Grande teve esta alternância no atendimento: Mafra e Iracema.

Passando por muitas dificuldades, a comunidade se mantém graças ao empenho da Sra. StefâniaKupitzkiKaucz (irmã do Pe. Atanásio).

Pe. Arcenio Krefer, OSBM

VIDA ECLESIAL 

Localização: Município de Rio Negrinho. Distância da sede paroquial: 78 km.

Padroeiro: Sagrado Coração de Jesus.

Famílias: 30.

Destas 30 famílias poucas pessoas entendem o ucraniano. Desta forma, as missas são sempre celebradas em português e tem uma participação de membros da comunidade latina.