Cascavel

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO

ENDEREÇO1.5.4-1 Cascavel

Rua Mato Grosso, 373 – São Cristóvão
85813-020 CASCAVEL – PR
Caixa Postal, 371
85802-970 CASCAVEL – PR
Fone: 45 3227-3782

CRIAÇÃO DA PARÓQUIA

A Paróquia foi fundada em 01 de outubro de 1981 através do Decreto nº 1.163/81, expedido pelo Eparca Dom Efraim. A 1ª igreja construída, em madeira, data do ano 1967. A 2ª Matriz – atualmente em construção, em alvenaria, data do ano 2002-2003.

HISTÓRIA DA PARÓQUIA UCRANIANA DE CASCAVEL

OS UCRANIANOS NO PARANÁ 

Vários foram os motivos que levaram o povo ucraniano a emigrar para terras distantes. As más condições socioeconômicas do final do século XIX, sem dúvida contribuíram muito para este novo desafio. Deixar para trás os entes queridos, a pátria amada, as tradições, a cultura, enfim, um conjunto de representações de mundo que dava sentido e segurança ao seu vivido, certamente deixou marcas profundas, influenciando significativamente na nominação dos imigrantes ucranianos.

“… chorávamos e sentíamos saudades da querida terra, a qual nós nunca esqueceremos, embora aqui viveremos e morreremos…” (O grilo. Ano 47 nº 205 junho-setembro. 1992 p. 13. Tradução do ucraniano).

A historiografia paranaense faz pouca ou quase nenhuma menção sobre a imigração ucraniana. Talvez por considerar um contingente de imigrantes pouco expressivo ou por considerá-la de pouca relevância no contexto socioeconômico paranaense. O Pe. Valdemiro Haneiko manifesta sua repulsa às expressões de alguns cronistas que, segundo ele, tentaram denegrir o trabalho dos imigrantes ucranianos. Para estes cronistas a contribuição do povo ucraniano para o progresso do país foi insignificante. Entretanto, para Haneiko, faltou uma análise mais séria deste povo e um estudo do espaço geográfico que ocuparam. Apesar dos problemas enfrentados no início da imigração, conclui o Pe. Valdemiro, o ucraniano é um povo heroico, batalhador e que venceu os desafios, tendo hoje pessoas de destaque na sociedade brasileira.

Segundo alguns estudiosos ucranianos houve basicamente três etapas da imigração ucraniana para o Brasil. A 1ª etapa do final do século XIX até a 1ª Guerra Mundial; a 2ª no período de entre guerras e a 3ª após a 2ª Guerra Mundial. Em 1891 as primeiras levas de imigrantes ucranianos chegam ao Estado do Paraná. Presume-se que em 1897 já havia mais de 20 mil ucranianos no Estado. Estabeleceram-se primeiramente nos arredores de Curitiba e nos anos seguintes em Prudentópolis e Marechal Mallet.

Muitos no início pensavam e retornar à Ucrânia, mas aos poucos foram se adaptando por aqui mesmo. Aos poucos foi aumentando o número dos ucranianos aqui no Brasil e assim eles formaram suas colônias, para poderem manter viva a língua ucraniana, suas tradições religiosas e folclóricas.

O sinal visível da vida ucraniana sempre foi a construção de uma igreja, onde pudessem reunir-se e louvar a Deus em seu próprio rito. A vida da comunidade era construída ao redor da igreja, mantendo-se unidos.

HISTÓRICO DOS UCRANIANOS DE CASCAVEL E REGIÃO

Os primeiros ucranianos chegaram a Cascavel, mais precisamente em Centralito, na década de 40. Em 1945 chega de Santa Catarina a família Kachuba. Já a família Hotz chega em 1949, proveniente de Prudentópolis, e em 1962, a família do Sr. Nicolau Gilnek se estabelece nesta cidade.

Vieram a procura de melhores condições de vida e trabalho. Junto trazem, a cultura, as tradições ucranianas e principalmente a religião. A religião, o rito e as tradições aparecem como necessidade vital, como algo que dá sentido ao mundo ucraniano. Por isso não mediram esforços em solicitar a vinda dos sacerdotes para a celebração da missa e posteriormente a construção da igreja na Comunidade. As missas a princípio eram rezadas nas casas dos imigrantes.

Desde 1940, a Comunidade vem recebendo auxílio espiritual por parte dos sacerdotes, com suas visitas periódicas. Desta data até 1951, as famílias se reuniam nas casas dos ucranianos, onde recebiam os sacramentos e a formação catequética, por parte dos próprios leigos e sacerdotes. Em 1966 foi construída primeira igreja ucraniana em madeira, em Cascavel, sob a liderança do Padre Pedro Baltzar, OSBM. Desde 1977 empenhou-se em organizar a Paróquia e em 1980 foi construída a casa paroquial. Inicialmente, ou seja, desde 1950 até 1959 pertencia à Paróquia de Pitanga. Desde 1960 até 1976 pertencia à Paróquia de Campo Mourão.  A Paróquia foi criada com decreto datado do dia 01 de outubro de 1981, por Sua Excelência o Bispo Eparca Dom Efraim Basílio Krevey, OSBM.  Entre os anos 1991 e 1996 foi construído o Pavilhão de festas, no pátio da Igreja. Também em 1984 foi construída a Casa das Irmãs Sevas de Maria Imaculada, ao lado da Igreja Matriz.

PRIMEIRA IGREJA (1966)

A igreja de Cascavel foi construída no final da década de 60. No dia 12 de janeiro de 1969, foi inaugurada a Igreja Ucraniana em Cascavel. A partir de 1964 a missa era rezada na casa do Sr. Miguel Zdebski. Posteriormente com o aumento da comunidade as missas eram celebradas na capela das irmãs de rito latino no Cascavel Velho. No dia 30 de janeiro de 1966, foi celebrada a 1ª missa na capela das irmãs servas de Maria Imaculada. Os padres basilianos atendiam espiritualmente a comunidade, vindos de Campo Mourão.

CONSTRUÇÃO DA NOVA IGREJA (2001)

Em 2001 foi demolida a então igreja de madeira, que se encontrava em precárias condições de uso e segurança para dar início à construção uma igreja nova, em alvenaria, dentro das características e estilo no Rito Bizantino-Ucraniano, com 5 cúpulas. No dia 01/12/2001 deu-se a benção e lançamento oficial da pedra fundamental, já com o alicerce pronto, na época.

ATIVIDADES PASTORAIS E CULTURAIS DA COMUNIDADE

 Catequese

Desde a década de 40, a comunidade de Cascavel vem recebendo auxilio espiritual por parte dos sacerdotes, com suas visitas periódicas. Desta data até 1951, as famílias se reunião nas casas dos ucranianos, onde recebiam os sacramentos e a formação catequética, por parte dos próprios leigos e sacerdotes. Com o passar do tempo a catequese foi sendo organizada e com a vinda das Irmãs Servas de Maria Imaculada empenhada na Pastoral, oferecem um grande apoio nas capelas junto a catequese.

A catequese é administrada aos sábados pela manhã. Dentro deste trabalho também são realizadas aulas de ucraniano, despertando interesse pelo idioma, como também são realizados mensalmente encontros de formação para catequistas e pais, passeios, gincanas e confraternizações visando a interação entre as crianças e familiares.

Hoje contamos com 45 catequizandos e 5 catequistas.

Apostolado da Oração

Contamos com o grande desempenho do Apostolado da Oração em todas as comunidades. Aqui em Cascavel o Apostolado da Oração foi fundado em 1971 e hoje conta com 150 membros. A Reunião mensal é cada Primeiro Domingo do mês.

Grupo Folclórico Ucraniano Sonhachnek

O Folclore Ucraniano Sonhahcnek foi fundado em 1986 pela Lucia Krominski. Atualmente conta com 80 componentes divididos em Escolinha de dança, grupo infanto-juvenil, adulto, corpo coreográfico e diretoria. Sonhachnek na língua ucraniana significa “girassol”, a flor nacional da Ucrânia, o grupo escolheu como lema por querer ser sempre grato a Deus pelos dons recebidos. São crianças e jovens que dedicam seus finais de semana para aprender e divulgar a cultura ucraniana. Nesses 23 anos de existência o Sonhachnek através da dança folclórica vem representando a comunidade ucraniana de Cascavel em varias cidades do Brasil.

Coral Nébo i Zémlia

O Coral da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro/Cascavel, inicialmente composto por 30 integrantes era dirigido pelo Maestro João Vogivoda. Em dezembro de 1990, a pedido do Pe. Samuel Koslinski, o maestro João Vogivoda, aceitou o desafio de formar o coral para cantar uma missa em ucraniano na TV Carimã em abril de 1991. Entretanto, por problemas técnicos na Carimã, não foi possível a gravação da missa. A partir daí o coral começou a fazer apresentações na comunidade cantando missas e se apresentando nas noites ucranianas promovidas pelo grupo folclórico ucraniano Sonhachnek. Começou também a cantar missas em outras comunidades ucranianas do Paraná. Dentre estas: Sapucaia, Centralito, Roncador, Juranda, Pato Branco e Prudentópolis.

Em agosto de 2008 iniciou-se, através do CELEM de língua ucraniana, com o apoio do Pe. Josafat Gaudeda e da diretoria da Igreja uma nova formação do coral da comunidade. O maestro Juliandro Ostapechen, de Medianeira, vem 1 vez por semana, na sexta-feira, para o ensaio do grupo. Atualmente contamos com 16 componentes. Comunicamos que em fevereiro de 2010 retornaremos com as atividades do coral. Convidamos todas as pessoas da comunidade para fazer parte do nosso coral.

A primeira apresentação oficial do coral foi no dia 03 de outubro de 2009 na noite ucraniana, promovida pelo grupo folclórico Sonhachnek.

Nesta noite foram apresentadas 4 canções: 1) Hino Nacional da Ucrânia – Stché né umérla Ukraini – Ainda não morreu na Ucrânia; 2) Podái diutchêno – Despedida; 3) U hórax karpátax – Nos Montes Cárpatos; 4) Óttche Nach – Pai Nosso.

CELEM

O Centro de Línguas Estrangeiras Modernas é uma oferta extracurricular e gratuita de ensino de Línguas Estrangeiras nas escolas da rede pública do Estado do Paraná. Em agosto de 2006 iniciou-se uma turma de CELEM de Ucraniano no Colégio São Cristóvão com duração de 3 anos. A dificuldade, no início foi de material didático. Em 2007 foi elaborado pelos professores de CELEM de Língua Ucraniana um manual com apoio da Secretaria Estadual da Educação. Este Material, entretanto, chegou às escolas somente no segundo semestre de 2008. Recebemos também através da Maria Madalena Lozovei de Prudentópolis um Bukvar de Lviv – Ucrânia. Percebe-se nas gerações atuais uma grande dificuldade quanto à língua ucraniana, pois os diálogos na família e as relações sociais são todas em português.

AUVEL

AUVEL – Associação dos Ucranianos de Cascavel. Entidade oficial sem fins lucrativos. Com mais de 10 anos de existência, objetiva valorizar e cultivar as tradições ucranianas. Possui registro no CNPJ e está sendo regida por estatuto próprio, tendo como presidente o Sr. César Zarowski, apoiado diretamente pelo pároco Padre Josafat Gaudeda.

Hailka

O nome Hailka vem de “hai”, bosque onde se reunia a juventude para executar as canções e apresentar rituais para saudar a vida, após a longa temporada de inverno. Com a implantação do cristianismo na Ucrânia, esta tradição passou a ser festejada em comemoração à ressurreição de Cristo. Em Cascavel a cerca de 3 anos a comunidade através do CELEM e da Catequese tem incentivado o retorno desta antiga tradição. Geralmente ocorre no 1° domingo após a Páscoa.

PÁROCO: Pe. Josafat Gaudeda.

COMUNIDADES DE VIDA CONSAGRADA E OUTRAS EXISTENTES NA PARÓQUIA

Residência Paroquial.

Convento das Irmãs Servas de Maria Imaculada em Cascavel onde mantém sua própria Escola de 1º Grau e Pré-Primário.

ATIVIDADES PASTORAIS

Catequese: realiza-se aos sábados e domingos. É ministrada pelas Irmãs Servas de Maria Imaculada como também por catequistas leigas.

Cultos e devoções tradicionais: durante a Quaresma – Via-Sacra, Missa dos Dons Pré-Santificados, celebrações próprias da Semana Santa e tríduos de renovação espiritual. Durante o mês de maio – tradicional novena (Maivka). No mês de junho – Novena ao Sagrado Coração de Jesus. No mês de outubro – Rosário comunitário. Periodicamente realizam-se missões a cargo dos Padres Basilianos.

Ação Social: Periodicamente, realizam-se festas e promoções apropriadas, tendo por finalidade a manutenção da Paróquia e suas obras.

Associações leigas religioso-culturais: Apostolado da Oração; Grupo da 3ª Idade; Grupo de Jovens; Cruzada Eucarística; Congregação Mariana; Comissão Administrativa Paroquial (CAP); Movimento Eucarístico Jovem (MEJ); Publicação de Boletim Paroquial – “Hromada” (Comunidade); Grupo folclórico infanto-juvenil “Sonhashnek” (Girassol).

COMUNIDADES

Alto Alegre (Céu Azul): As celebrações são feitas em uma modesta capela. Famílias: 04. Distância da sede paroquial: 55 km.

Centralito (Cascavel) – A comunidade Ucraniana de Cascavel teve seu início em Centralito localidade há uns dez km de Cascavel, situada à margem da BR 277. Uma vez por mês vinha o padre para rezar missa e confessar. As pessoas das localidades vizinhas, São João, Sapucaia e outras vinham até Centralito a pé, a cavalo ou carroça para a missa e outras atividades religiosas. A primeira missa foi rezada na escola da localidade. A 1ª igreja construída, em madeira, data do ano 1951. A 2ª e atual, reformada e ampliada, em alvenaria, data do ano 1987. Padroeiro: Divino Espírito Santo. Famílias: 25. Ali, também se realizaram as missões de 1963.

Foz do Iguaçu

DADOS HISTÓRICOS

ПЕРШІ СПРОБИ ЦЕРКОВНОГО ОРГАНІЗУВАННЯ

НАШОЇ ГРОМАДИ У ФОЗ ДО ІҐУАСУ

Від довших років однією з головних журб Владики Єфрема було і позістає простудіювання можливостей зорганізувати наших вірних у туристичному місті Фоз до Іґуаду, Парана, яке лежить на границі з Аргентиною і Параґваєм, і там спорудити українську католицьку церкву, яка охоплювала б обслугу наших вірних у Фоз до Іґуасу – Бразилія, у Сіюдад де Лесте – Параґвай і Пуерто Іґуасу – Аргентина. Це була б українська інтернаціональна церква.

В тій виключно цілі, Владика Єпарх відбув дві подорожі до Фоз, намагаючись промостити шлях до здійснення свого плану, про який, очевидно, були поінформовані всі Отці на єпархіальних Соборчиках тих років.

Перша подорож відбулася дня 18-го січня 1981 року. Владика відвідав, між іншими, свого колегу з Української Вулиці, Іваї – п. Казимира Домарицького (зараз небіщик), який від довших років тут замешкував і докладно обізнаний з теренами міста. Теж, в цілі пошукування терену, відвідав сім’ю п-і Ганусі Войтович. Спільно оглянули різні терени, які дуже надавалися б під будову нашого церковного центру. Ціни високі – і на наші фінанси – недосяжні. А фундаторів – не найти.

Друга подорож відбулася в днях 06-го і 07-го липня 1997 року, в товаристві моєї сестри Мирослави Кривої, КСІ. Цим разом, офіційно зайшли ми до місцевої Префектури, мали окрему зустріч з тодішнім Директором Урбаністичного Відділу – п. Адамом Луіз Феррейра та з секретарем Префектури п. Аділсоном Рабело. Вони дуже радо запротокували наше прохання про терен під майбутню нашу церкву, вислухали нас з заінтересуванням, обіцяли навіть співпрацю в будові, але офіційна відповідь така: “Наша Префектура може уділить Вам терен сьогодні, а завтра ввійде 10 (десять) або і більше прохань про терени на різні сектанські церкви”. Так воно і в дійсності буває в нашій країні.

З Префектури ми подались прямо до дієцезального єпископа Фоз до Іґуасу – Дон Олівія Фазза, вербiта. Предложили йому наш план з проханням, щоб відступив або відпродав 3-4 льотки з дієцезальної посілості при шляху, що веде на “Трес Фронтейрас”. Замість того, Єпископ Олівіо запропонував, що віддасть нашій обслузі лат. Парафію і все приходство свв. Апостолів Петра і Павла. Одначе, під кондицією, що парафія мусить бути бі-рітуальна. На це не міг я погодитись. Вистачить нам бі-рітуальна парафія в Сан Павло.

Вір’ю, все-таки, що мимо дотеперішніх труднощів і невдач, при добрій волі, при завзятості і жертвенності наших Отців – наша церква у Фоз стане благословенною дійсністю.

Кир Єфрем Кривий, ЧСВВ

UCRANIANOS DE FOZ DO IGUAÇU SE ORGANIZAM PARA FORMAR UMA COMUNIDADE

Por consequência da migração de algumas famílias descendentes de ucranianos a Foz do Iguaçu, houve a necessidade de se manter viva a identidade ucraniana e ao mesmo tempo religiosa. Os encontros casuais entre alguns descendentes trouxeram a reflexão sobre uma organização para que as tradições e os costumes não se perdessem, visto que muitos recordavam as lembranças das tradições familiares e que se tornara impossível devido ao fato de não haver uma comunidade formada.

Assim, no dia 2 de agosto de 2003 algumas famílias se reuniram para participar da primeira missa: Estefano Antonio, Ivo Pauluk, Jéferson Pumi, Ronaldo Nascimento, Nelson Antonio, Samuel  Pidnorodeski, Daniel Matulle, Zenóbia Vereta e Lúcia Hominhuk.

Esta missa foi celebrada pelo Revmo. Pe. Mário Lazoski, Pároco da comunidade ucraíno-católica de Cascavel. A principal intenção da mesma foi o batizado de Rodrigo Muzeka do Nascimento, filho de Ronaldo José C. do Nascimento e Maria Inês Muzeka do Nascimento. Este foi o principal motivo pelo qual a comunidade começou, pois a vontade de que o batizado se realizasse em uma igreja ucraniana, onde se mantivesse viva a tradição familiar, foi muito grande por parte dos pais. Depois de vários telefonemas e pedidos ao Pe. Mário, ele concordou em ir até Foz do Iguaçu e fazer o batizado, celebrando também uma missa.

A ideia de se continuar com as missas foi aceita pelas famílias presentes naquele dia e durante 6 meses o local para celebração foi cedido pela comunidade latina do Bairro Cohapar I em um Barracão, onde também eram rezadas as missas latinas.

No primeiro domingo de cada mês, às 19h00min horas, as famílias descendentes de ucranianos se reúnem para manter viva a tradição e, principalmente, a língua, cuja herança receberam de seus pais e não querem deixá-la no esquecimento. Essas famílias, conscientes de seus valores religiosos e culturais, consideram importante passar aos filhos o que com muito carinho herdaram de nossos pais.

A grande ajuda nestes encontros e celebrações está sendo das Irmãs Servas de Maria Imaculada da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Cascavel. Elas auxiliam com os cânticos e incentivam para que se continue da melhor forma possível, sempre na busca da formação religiosa da comunidade.

A partir de fevereiro de 2004, as missas passaram a ter um novo endereço: Capela Nossa Senhora Aparecida, situada à Av. Garibaldi s/n, no Jardim Lancaster. Esta capela também pertence a uma comunidade latina, que prontamente acolheu a comunidade ucraniana, cedendo seu espaço.

O mais significativo de toda esta trajetória é que a cada mês uma nova família se integra à pequena comunidade e hoje, já temos 35 famílias que participam das missas. Assim, no presente momento, a pequena comunidade ucraniana de Foz do Iguaçu existe e exerce suas atividades religiosas sob o incentivo e colaboração direta da Família Antonio. Algumas famílias mais ligadas ao convívio daquela também ajudam, mas muito pouco. O Sr. Estefano Antonio é gerente administrador do Hotel Tulipa. Ele montou uma equipe muito competente de serventes, constituída por seus parentes e alguns amigos.

No tocante à comunidade, a colaboração, sobretudo financeira, por parte de outras famílias, é muito pequena, praticamente não sendo possível cobrir as despesas de viagem do padre. Segundo as lideranças locais, o Pároco, as Irmãs e a família dos Antonio, por enquanto não é possível pensar em comprar lote e construir igreja, porque a situação está bastante incerta. Se realmente acontecerem as mudanças no comércio em Foz do Iguaçu, centralizado no sistema muambeiro, vindo ao fechamento do Hotel Tulipa, a Família Antonio com sua equipe passará a outra atividade em outra localidade, esvaziando a força que mantém unida a comunidade. Sem essa turma, ficará quase impossível prosseguir com algum projeto de maior alcance.

De qualquer forma, sempre recebemos o apoio, direta ou indiretamente, de várias pessoas, mas a última missa do dia 6 de fevereiro de 2005 foi muito especial, pois recebemos de forma inesperada a visita de sua Excelência Dom Volodemer Koubetch, OSBM, Bispo Coadjutor, que nos apoiou para continuarmos a nos organizar e até a lutarmos para a aquisição de um terreno para pensarmos em um futuro de comunidade melhor.

As dificuldades são enormes, mas a esperança está acesa e abre a possibilidade de um dia termos uma comunidade ucraniana católica organizada, possuindo seu próprio templo em Foz do Iguaçu.

Maria Inês Muzeka do Nascimento

 O DESEJO DE ALI EDIFICAR UM SANTUÁRIO

Sabendo que em Foz do Iguaçu, terra das Cataratas, havia algumas dezenas de famílias descendentes de ucranianos, hoje Emérito, o Bispo Dom Efraim Krevey, OSBM, no ano de 1976, passando por esse local, notou que era necessário prestar-lhes uma devida assistência espiritual, dentro das nossas tradições, cultura e costumes milenares. Outras vezes, e mais precisamente em 1985, o Bispo tentou novamente junto à prefeitura a aquisição de um terreno, apresentando inclusive o projeto da igreja a ser construída. Foram várias as tentativas de adquirir um local apropriado por meio da prefeitura, que sempre acabaram em promessas não realizadas.

Surgiu então na oportunidade, a idéia de que o Pároco Padre Mário Lazoski, da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, da cidade de Cascavel, desse atendimento a estas famílias de rito ucraniano. Foi assim que no dia 20 de agosto de 2003, deu-se a primeira visita feita pelo então Pároco, Padre Mário Lazoski. Houve a primeira missa celebrada no rito ucraniano, em um Barracão cedido pela Comunidade Latina, no Bairro Cohapar I. A partir desta data, estabeleceu-se que sempre no primeiro domingo de cada mês, no horário das 19h00min horas, nesse mesmo local será celebrada a Santa Missa. Com o passar do tempo, já em de fevereiro de 2004, as celebrações passaram a ser realizadas na capela do rito latino, igreja Nossa Senhora Aparecida, situada na Avenida Garibaldi, s/n, Jardim Lancaster.

Em de abril de 2007, Dom Efraim, recebendo uma ajuda financeira do exterior e da Eparquia São João Batista, agora sob o governo do novo Eparca recém-entronizado Dom Volodemer Koubetch, OSBM, juntamente com o atual presidente da Comissão, Senhor Estefano Antonio Sobrinho, compraram quatro lotes no bairro Jardim Cristina – Vila A da Firma Bartholo Transportes Rodoviário LTDA, com uma área medindo o total de 2.050m², com escrituração no Registro de Imóveis. Na data 22 de abril de 2007, após a Santa Missa, na presença de toda a maioria da comunidade presente, houve oficialmente a escolha da Diretoria da Igreja, como também foi escolhida a Padroeira para a igreja, sendo esta dedicada, a Nossa Senhora do Amparo, a ser futuramente comemorada no mês de outubro. Iniciou-se a construção do muro do terreno e posteriormente a construção da igreja.

O dia 04 de maio de 2008, tornou-se uma data especial, qual permanecerá para sempre ativa na Comunidade Ucraniana, na cidade das três fronteiras, em Foz do Iguaçu. Por enquanto são poucas as famílias ali residentes, hoje contam com aproximadamente umas 35 participantes, que vieram de diversas regiões do Estado do Paraná e de Santa Catarina. Grande era a ansiedade de todos, de poder um dia contar com um local apropriado, ali edificar uma igreja no estilo Bizantino, e em breve espaço de tempo, poder participar das celebrações no rito ucraniano católico, dando assim continuidade nas próprias tradições, liturgia e costumes.

O primeiro sonho já está realizado, desde o momento em que foi comprado o terreno, local para a futura construção da igreja. E agora com a data acima citada, está sendo realizado o segundo sonho, o segundo passo muito importante, que é o Lançamento da Pedra Fundamental.

Pontualmente às 10h00min horas do dia 04 de maio de 2008, manhã fria e de céu cinzento, na Igreja Nossa Senhora Aparecida, de Rito Latino, solenemente iniciaram a Divina Liturgia, o Emérito Bispo Dom Efraim Krevey, OSBM, o Pároco Padre Mário Lazoski e o Revmo Padre Vito Slobojian, OSBM. Em sua homilia, Dom Efraim lembrou aos participantes que chegou a hora em que todos, mais do que nunca, devem dar as mãos e juntos, unidos na oração e no trabalho, devem dar início na obra, na construção da nova igreja. Citou também que, como hoje estamos comemorando a festa da alegria, a festa da Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo, que voltou para a casa do Pai, abençoando os Apóstolos Ele subiu aos céus. Também a nova igreja terá uma cúpula mais alta, alçada para os céus, rumo para onde se elevou o Messias Salvador. Que neste momento suba também com Ele a nossa prece, o nosso coração. Na vida da Igreja, cada um de nós é chamado por vocação particular a cumprir uma missão, praticando sempre o bem, ajudando e participando dentro da realidade em que nos encontramos. Fazer o possível de ir também a procura daqueles que são de descendência ucraniana, estão em outras paróquias, convidá-los e incentivá-los a fazer parte desta nova comunidade.

Após a Celebração Eucarística, todos foram convidados a dar continuidade no evento, dirigindo-se até o local onde se encontra o terreno. Na presença de várias autoridades civis, militares, religiosas, na presença de Irmãs religiosas da Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada, na presença de um considerável número de paroquianos, Fundadores, Benfeitores e Colaboradores, na presença de fiéis do rito ucraniano e do rito latino, Dom Efraim Krevey, OSBM, solenemente realizou o rito da bênção e do lançamento da Pedra Fundamental, para a construção da primeira igreja do rito ucraíno católico, nesta cidade das três fronteiras, em Foz do Iguaçu, no Bairro Jardim Ana Cristina, Vila A. Depois de uma pequena alocução, foi em seguida lida a Ata e assinada pelas autoridades, representantes e pelo povo que se fez presente.

Futuramente esta Igreja deverá irradiar as glórias de Cristo e Maria que irão transformar esta terra hoje abençoada, para um local de paz no espírito, de fé e de preces. Aqui a terra hoje sendo abençoada, santo é este lugar e continuará ainda mais santo. Terra Santa é esta, porque no decorrer dos anos, dos decênios e dos séculos, deste lugar sairão santos que crescerão e trabalharão de modo muito fecundo. Este lugar é santo, porque daqui serão colocadas santas tarefas sobre os nossos frágeis ombros, isto é, tarefas que irão nos santificar. E nesta aliança de amor com Maria, queremos decididamente nos colar como instrumentos a serviço do reino de Deus, para que nesta comunidade, faça jorrar novas torrentes de graças redentoras na edificação de muitos e muitos lares cristãos. Deus na Santíssima Trindade e Nossa Senhora, Rainha da Igreja, amparem e assistam todos os Fundadores, Benfeitores e Colaboradores desta obra.

Pe. Vito Slobojian, OSBM

 

Iza-Cuê (Cafelândia) – O nome Iza-Cuê origina-se de Izac, líder paraguaio de um acampamento de extração da erva-mate da localidade. No início dos anos 60, devido a grande concentração no local de famílias de origem ucraniana e polonesa, começaram as visitas dos padres ucranianos na comunidade, sendo as missas rezadas nas casas pelo padre Carlos de Campo Mourão. No ano de 1964 iniciou-se a construção da primeira capela, em madeira, finalizada no ano 1967. A primeira missa rezada na capela foi pelo padre Pedro Baltzar, OSBM. O nome dos padroeiros São Pedro e São Paulo foi escolhido pelos moradores Pedro Gulak e Paulo Aqsenen. A 2ª e atual, em alvenaria, data do ano 1988, contando na inauguração com a presença do Bispo Dom Efraim. Hoje a comunidade recebe a visita dos padres da Paróquia do Perpétuo Socorro do rito ucraíno-católico de Cascavel e da Paróquia Nossa Senhora Consolata de Cafelândia. Famílias: 34. Distância da sede paroquial: 65 km.

Linha Skanagatta (Cascavel) – As celebrações são feitas na Paróquia do Bom Retiro (rito Latino). Padroeiro: Nossa Senhora Aparecida. Famílias: 08. Distância da sede paroquial: 38 km.

Ouro Preto (Toledo) – A comunidade de Ouro Preto foi fundada em 1965 com 25 famílias. No começo as celebrações eram realizadas na casa do Sr. João Terliuk. A igreja de madeira construída em 1972, sob a orientação dos padres Emiliano Dacechen, OSBM e Arcênio Kozechen, OSBM. O edifício pertence à paróquia, que tem sede em Cascavel, distante 65 quilômetros da cidade. A igreja Sagrada Família fica entre as extensas áreas de cultivo agrícola, junto à estrada da Colônia Ouro Preto, protegida por um pequeno grupo de árvores.

Rio das Antas (Braganey) – Comunidade fundada em 1950; contava na época com 30 famílias. Em 1962, foi construída a primeira igreja de madeira. A 2ª e atual igreja, também em madeira, data do ano 1975. Inicialmente a comunidade pertencia à Paróquia de Pitanga. Entre 1960 e 1977, a igreja passou para a Paróquia de Campo Mourão. Finalmente, em 1977, a comunidade foi transferida para a Paróquia de Cascavel, de onde dista 40 quilômetros. Atualmente, a igreja atende cerca de 15 famílias. Padroeiro: São João Batista.

Sapucaia (Cascavel) – Igreja Assunção de Nossa Senhora. As primeiras famílias da comunidade de Sapucaia foram: Jurkevitch, Adada, Ladaninski, Lozovei, Pancheniak, Paly, Skrepetz. Em sua maioria vindas de Santa Catarina, durante a década de 40. Recém-chegadas em terras desconhecidas, às famílias reuniam-se na casa do Senhor Pedro Adada para celebrarem as missas, mantendo assim seu rito. Depois de certo período receberam um terreno da Industrial Madeireira do Paraná para a construção da primeira Igreja do local, simples, pequena e de madeira, em 1957. A Igreja reuniu durante anos os descendentes de ucranianos que ali habitavam. No ano de 1987 (num relatório consta 1983), no mesmo local foi inaugurada a nova igreja da comunidade, maior e em alvenaria. A princípio, as missas ali celebradas eram feitas somente na língua e no rito ucraniano. Com o passar do tempo, várias outras famílias não descendentes ali se instalaram; e assim, padres latinos também passaram a fazer celebrações para atender a comunidade. Padroeiro: Assunção de Nossa Senhora. Famílias: 54. Distância da sede paroquial: 30 km.